A direcção da Ultramarina mantém-se intransigente na sua posição de realizar apenas a primeira mão das meias-finais do campeonato nacional e indisponível para abrir mão do jogo da segunda mão, que ditou a vitória (2-0) em São Vicente.


Em entrevista, segunda-feira, à Televisão de Cabo Verde, o presidente da direcção do Futebol Clube Ultramarina disse que a reunião promovida pela Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) para se chegar a um consenso foi inconclusiva e que todos os clubes envolvidos mantêm a sua posição inicial.
Simony Oliveira informou que cada parte defendeu os seus interesses e que o seu clube continua disponível para realizar a partida em falta, respeitante a primeira mão, e que espera pela marcação do jogo para receber o Mindelense.
O dirigente dos campeões de São Nicolau responsabiliza a FCF pelos transtornos causados ao nacional de futebol, por entender que a equipa federativa não soube conduzir o processo.
O campeonato nacional de futebol 2016/17 encontra-se envolto em polémica, mantendo-se incógnita o término da prova, não obstante a prorrogação da época, com o Sporting da Praia, único finalista conhecido, à espera da resolução do impasse das meias-finais entre a Ultramarina, de São Nicolau, e o Mindelense, de São Vicente.
Inforpress