A Académica do Porto Novo está “consciente do que tem de fazer”, domingo, no Estádio da Várzea, para conseguir a vitória frente à congénere da capital, no último jogo da fase de grupos do campeonato nacional de futebol.


As declarações são do treinador da formação porto-novense, Gunga Fonseca, que promete, para este desafio, “uma Académica igual a si própria e consciente do que tem de fazer para conseguir os três pontos em disputa” e alcançar o objectivo de passar à fase seguinte da prova.
A Académica do Porto Novo, que reparte, precisamente, com o seu adversário, o segundo lugar do grupo A (oito pontos), sente-se “motivada e preparada” para, apesar de lesões de alguns jogadores, ganhar na Várzea, mesmo sabendo do poderio da sua congénere da Praia, um dos candidatos ao título.
Na primeira volta, disputada no Estádio Municipal do Porto Novo, os representantes de Santo Antão – Sul venceram, por 2-0, e esperam repetir o feito no reduto do adversário, segundo Gunga Fonseca, que antevê “um jogo aberto, bem disputado”, em que as suas equipas vão querer ganhar.
“Estamos num momento em que não há almofada para ninguém. Estamos a sentir bem e estamos optimistas, porque as duas equipas vão ter que disputar os três pontos”, notou o treinador da Académica do Porto Novo, que vem de uma vitória suada, em “casa” (2-1), frente ao Sal Rei, último do grupo, com a apenas um ponto.
O outro jogo do Grupo A coloca frente à frente o Sal Rei e o Mindelense, líder do grupo, com nove pontos.
Inforpress