O Vulcânico consentiu hoje um empate caseiro a um golo frente ao Barreirense do Maio, no jogo a contar para a sexta jornada da fase de grupos, falhando pelo terceiro ano consecutivo a passagem à segunda fase da prova.


O representante da ilha do Fogo entrou no jogo de forma apática e sem grandes ideias, mas criou algumas oportunidades de golos nos minutos iniciais que foram desperdiçadas por Ka II, aos três e oito minutos.
Ao meio do primeiro tempo a formação do Barreirense consegue marcar pelo seu capitão Zico que aproveitou a desatenção da defensiva do Vulcânico.
À passagem de meia hora Nick do Vulcânico com um remate de fora de área obrigou o guarda-redes da equipa visitante a uma defesa apertada e na recarga, apesar de estar em posição irregular, Ka II não consegue acertar para fazer o golo.
Aos 35 minutos a formação do Barreirense podia ter ampliado o marcador, dois minutos depois foi Jardel do Vulcânico a rematar por cima do travessão e no minuto 39, Djon leva a bola ao poste ao tentar desviar do guarda-redes Molesa, desperdiçando assim a possibilidade de ampliar o marcador.
No segundo tempo o jogo que já era pobre perdeu qualidade com a formação do Barreirense a defender o resultado e a explorar o contra-ataque e com o Vulcânico a tentar a todo o custo dar a volta ao resultado.
O golo da igualdade aconteceu aos 28 minutos do segundo tempo por intermédio de Jardel, num remate à entrada área, depois de receber um passe do seu companheiro Kevi, que entrou minutos antes, que em vez de rematar para o golo deixou para Jardel que estava mais bem posicionado.
O mesmo Kevi aos 39 minutos do segundo tempo rematou para defesa do guarda-redes de Barreirense e no período de compensação, Ka II, isolado e com a baliza à sua frente para fazer o golo, rematou por cima da barra, facto que motivou a ira, no final do jogo, do massagista do Vulcânico que correu em direcção deste jogador, por considerar que o mesmo desperdiçou as várias oportunidades, sobretudo a ultima, de forma propositada.
Com este empate, o Vulcânico somou oito pontos em seis jogos, tendo averbado duas derrotas fora, na Praia frente ao Sporting e no Sal frente ao Palmeira, ambas por 1-0, dois empates em casa, sendo um a zero frente a Palmeira e a um golo frente ao Barreirense e duas vitórias, uma no estádio 5 de Julho frente ao Sporting e outra no Maio frente ao Barreirense.
A formação do Vulcânico, fica assim pelo caminho, pelo terceiro ano consecutivo, hipotecando  a possibilidade de chegar às meias-finais do Campeonato Nacional de Futebol.
Inforpress