Os Tubarões Azuis carimbaram o passaporte para a fase de grupos de qualificação para o mundial 2018 Rússia, após bater por duas bola sem resposta a seleção queniana.

 

Cabo Verde tinha que entrar forte na partida, pois trazia a desvantagem na bagagem depois de perder por uma bola zero na primeira mão.

 

Os Tubarões do Atlântico entraram a todo vapor e logo aos 58 segundos o extremo Odair Fortes leva a bola a barra, num lance em que Heldon consegue diblar alguns jogadores e cruza para Odair que não consegue finalizar da melhor forma.

 

Cabo Verde poderia ter resolvido a eliminatória logo nos primeiros minutos, criando varias oportunidades de golos protagonizados entre o quarteto ofensivo, Odair, Heldon, Djaniny e Platini.

 

Aos sete minutos numa jogada entre Heldon e Odair, Cabo Verde perde mais uma chance de marcar, com Heldon dentro da pequena área a cabecear ao lado do poste direito.

 

Logo de seguida, foi a vez do Djaniny , de levar o público as mãos a cabeça, num lance onde conseguiu passar entre os defesas quenianos atirou para uma defesa apertada do guardião queniano Boniface.

 

A ansiedade foi tomando conta dos jogadores, num passe rasgado de Heldon, Platini remata fraco para a defesa do numero 1 dos “Harambes”.

 

O público ansioso pedia pelo menos um golo na primeira parte e mesmo no final da primeira parte, Cabo Verde viria a marcar num lance de livre marcado por Heldon com a bola a ressaltar entre os “Harambees” e na tentativa de tirar a bola para fora, o defesa queniano, Shakava, acabou por introduzir a bola na própria baliza.

No reatar da partida, o minino abensuado dos Tubarões Azuis, Héldon, fixou o resultado final a favor de Cabo Verde, logo no arranque da segunda parte, aos 52 minutos, num lance onde o capitão Marco Soares ganha a bola na “raça” e percorre o lateral direito e na entrada da grande área faz o passe para Heldon rematar para o fundo da baliza, fazendo o dois a zero para Cabo Verde.

 

Mesmo com dois a zero e a qualificação para a próxima fase garantida, Cabo Verde foi ao ataque. Heldon sai tocado e entra Kuka, minutos depois Platini sede lugar ao Babanco.

 

Na busca atrás do prejuizo o selecionador queniano, Robert Willianson, fez algumas alterações reforçando o seu ataque. Aos poucos os quenianos foram se subindo no terreno provocando alguma preocupação a Rui Águas e o público presente.

 

Djaniny mais uma vez num lance isola-se e não consegue dominar a bola em perfeita condições.

 

É de realçar a grande estreia com a camisola dos Tubarões  Azuis do lateral direito Thiago Almeida que esteve entre os melhores em campo.

 

O placar não se alterou até o fim, mas os instantes finais foi de algum nervosismo, com os quenianos a procurarem um tento a todo custo.

Cabo Verde segue, para a fase de grupos de qualificação para o Mundial da Rússia em 2018 e deixa o Quénia  pelo caminho. O sonho de um dia Cabo Verde marcar presença no campeonato mundial de futebol continua ainda vivo.