A força física do central caboverdiano do Leça Pecks dá lhe um lugar entre os 26 nomeados a melhor jogador em Matosinhos.


As virtudes do defesa passam pelo cabeceamento, desarme às bolas, a marcação cerrada, o passe curto e longo, a técnica com bola, a antecipação à bola, a bravura, o posicionamento, a agressividade, a aceleração, a agilidade, o equilíbrio, a impulsão e a força física.

Atualmente ao serviço do Leça FC está a realizar a sua melhor temporada em Portugal e na sua carreira sénior, com 28 jogos realizados, todos eles a titular, com um golo apontando no jogo com o Canelas.

Pecks foi considerado uma contratação surpresa por parte do Leça devido ao seu historial no futebol português devido ao facto de ter sido um dos melhores centrais no Campeonato de Portugal na época passada.

As qualidades do central não passaram despercebidas, quando aos 20 anos chegou a Portugal para representar o Gil Vicente na Primeira Liga Portuguesa e logo na primeira época em 2012/13 foi observado pelo Manchester City, vice-campeão inglês.

"Na altura, o Gil Vicente tinha uma parceria com o Manchester City. Num jogo no Dragão, tinha alguns olheiros e, no dia seguinte, o presidente [do Gil] ligou-me a dizer que tinham gostado da minha exibição e que estavam interessados. Não teve andamento, não sei porquê, mas foi bom ver que tinha clubes interessados", recorda ao Mais Futebol.

Este esteve durante quatro temporadas na formação de Barcelos, três delas na Primeira Liga e uma na Segunda Liga fez 80 jogos e apontou seis golos.

Pecks representou a seleção caboverdiana na CAN 2013, mas não realizou qualquer partida. Em Cabo Verde fez a sua formação no Batuque e ainda fez parte do Celtic da Praia.

Depois de dois anos e meio sem competir devido a problemas burocráticos Pecks regressou a Portugal para ser mais uma vez intocável no Pedras Rubras, clube que representou durante meia temporada em 2018/19.

"Quando cheguei a Portugal as pessoas ficaram de pé atrás. Não sabiam como é que estava, se andava a treinar ou a jogar, mas felizmente surgiu a oportunidade de vir para o Pedras Rubras e tenho provado que estou bem.

Felizmente, também tive a oportunidade de conhecer a equipa fantástica da 4450 Gestão de Carreiras que me tem apoiado muito nesta fase.

Se é o renascer do Pecks? Sim, basicamente é isso. Continuo o mesmo Pecks de sempre. Trabalho muito para mostrar o meu valor e tenho recebido bom feedback de pessoas que dizem que mereço outros campeonatos", revelou ao zerozero.

Entre 23 a 31 de março, o Mitchfoot vai descrever cada um dos nomeados das quarto categorias que vão a eleição no mês de abril com a sua biografia e características.
mtsfootbal