Futebol Maio: Campo relvado da vila da Calheta ainda sem data definida para inauguração



Os trabalhos do campo relvado da vila da Calheta estão praticamente concluídos, embora ainda sem data prevista para inauguração, disse o edil maiense, Miguel Rosa.



Na sua deslocação à vila da Calheta para um encontro com a comunidade local, Miguel Rosa aproveitou a ocasião para visitar o campo relvado em construção naquela urbe, onde avançou que os trabalhos já estão na sua recta final, mas não precisou a data da abertura daquela infra-estrutura desportiva.

O autarca disse que “a inauguração depende de “Deus”, fazendo alusão às condições climatéricas, porque caso venha chover na próxima semana e durante este mês, isso vai condicionar os trabalhos que restam, que conforme defendeu falta pouco para que os mesmos estejam prontos.

“Este é um momento que poderíamos estar juntamente com a população para a inauguração desta infraestrutura, mas podemos dizer que, neste caso, felizmente, desde o início de Agosto que tem chovido com frequência e por causa disso, o piso acabou por ficar improprio para a colocação da relva”, esclareceu
.
Miguel Rosa advogou, por outro lado, que pretendem entregar uma obra de “qualidade”, tanto aos moradores da vila da Calheta como às zonas limítrofes, pelo que estão obrigados a aguardar por mais alguns dias, salientando que tudo vai depender da vinda ou não da chuva.

 

“Por isso, ainda não temos uma data concreta para a inauguração deste campo, porque estamos a depender das condições climatéricas, mas acima de tudo, o mais importante é o investimento feito neste campo, em cerca de 35 mil contos”, enfatizou.

O edil maiense mostrou-se convicto de que a referida infraestrutura vai ter impacto significativo na promoção da prática do desporto, tanto na vila da Calheta, como nas localidades de Cascabulho e Morrinho.

Tendo em conta a dimensão do referido espaço desportivo, Miguel Rosa afiançou que o mesmo reúne os requisitos para receber provas oficiais, tanto a nível local como nacional.

“Com a conclusão deste campo e tendo três campos relvados na ilha, entendemos que nos próximos anos poderemos receber aqui na ilha outros eventos futebolísticos, que pode ser tanto em sénior masculino, feminino ou júnior e até velhas glorias”, sublinhou.

Confrontado com a promessa de que este campo deveria estar concluído e inaugurado no inicio deste ano, inclusive antes da realização da final do campeonato nacional de futebol, o que também permitiria que as equipas da Calheta e não só iniciassem a preparação da nova época naquele recinto desportivo, Miguel Rosa respondeu desta forma.

“O atraso neste caso é natural, porque a empresa que ganhou o concurso da empreitada deste campo foi a mesma que ganhou o da vila do Barreiro. Conseguimos entregar o daquela vila, embora com algum atraso e neste momento já nos entregou o piso, agora nada nos diz que até o inicio da época futebolística não vamos ter este campo pronto”, sustentou.

Caso isso venha a mostrar-se impossível, Miguel Rosa garantiu que a equipa da Académica e outros da zona centro poderão realizar os seus treinos no estádio municipal e sem custos adicionais com as deslocações.

Miguel Rosa advogou ainda que aquele recinto desportivo tem todas as condições para evoluir para um estádio de futebol no futuro, sublinhando que o mesmo vai também ajudar na melhoria da urbanização daquela parte da vila da Calheta, que já tem o seu plano urbanístico.

WN/JMV
Inforpress


Print   Email

         

Mais de 10 anos com os desportistas cabo-verdianos

 

 

 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.
 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.