Qualificação CAN´2021: Stopira, pede respeito aos Tubarões Azuis e promete amor à camisola que defendem.


Esses autênticos embaixadores de um país que, muitas vezes, nem está no mapa , não podem ser heróis quando ganham para serem vilōes amanhã.


No futebol só existem três resultados: vitória, derrota ou empate e é com desportivismo e sentido de responsabilidade e espírito de competitividade que encaramos cada desafio.

Pode-se criticar uma actuação mas nunca denegrir e adjectivar pejorativamente esses atletas que lutam contra uma entidade patronal e vêm de longínquas paragens como Azerbaijão, onde são “ respeitados” para se tornarem tubarões do seu povo.

Citou várias vezes o músico Norberto Tavares: “ ka nu dexa tudo só pa Stado”.

O internacional caboverdiano transmitia, ao vivo, na sua página do Facebook, a partir de um aeroporto.

Parafraseando Norberto ainda disse e cantou : “ Cada um di noz é um Cabral” , à medida que mostrava o rosto do pai da independência no seu ombro tatuado.

De forma altruísta , sem pensar no dinheiro , prometeu juntamente com seus colegas, continuar a defender as cores nacionais, exigindo respeito dos adeptos.

Foi citando os nomes dos que participaram na operação Moçambique e não só.

Manifestou desagrado pela forma como foi tratado , por exemplo, Marco Soares quando as coisas não corriam bem.

A resposta foi dada ontem com a vitória sobre os Mambas e a consequente qualificação para a CAN 2021, que vai ser disputado dentro de 9 meses nos Camarões.

Efectivamente temos que valorizar aqueles que, incondicionalmente, põem os interesses nacionais acima dos dos clubes que representam.

Desafiam o jogo de interesses dos seus patrões mais preocupados em preservar o estado físico dos seus trabalhadores.

É assim que pede a consciencialização do Estado e/ou governo. para com aqueles que representam ou representaram Cabo Cerde , com as mínimas condições.

Cabo Verde qualificou-se, ontem, pela terceira vez, para uma edição da CAN ( Taça de Africa das Nações)

Com o ar despreocupado , próprio da idade e descontraídos, os atletas respondiam em coro, o hino de Norberto Tavares: “ Nos Cabo Verde di Sperança”

Ê Cabo Verde. É a imagem de uma nação diasporizada que defendemos.

Valdir Alves


Print   Email