Mundo: Presidente da FIFA critica falta de investimento das televisões no Mundial feminino


O presidente da FIFA, Gianni Infantino, criticou as emissoras de televisão por oferecerem "100 vezes menos" dinheiro pelos direitos de transmissão dos jogos do Mundial feminino de futebol do que pela competição masculina.


Infantino falava em Auckland, na Nova Zelândia, horas antes do sorteio da primeira ronda do Mundial feminino, marcado para a Austrália e a Nova Zelândia, de 20 de julho a 20 de agosto de 2023.

A nona edição do Mundial feminino vai contar pela primeira vez com 32 equipas, mas as ofertas das emissoras de televisão têm sido “"inaceitáveis", especialmente tendo em conta que as televisões têm pressionado a FIFA "a fazer mais pela igualdade", disse Infantino.

Segundo o dirigente ítalo-suíço, a FIFA investiu mil milhões de dólares (mais de mil milhões de euros) no futebol feminino nos últimos anos.

As edições de 2015 e 2019 do Mundial feminino de futebol terminaram com prejuízo, mas Infantino espera conseguir um retorno pelo menos igual ao investimento de 400 milhões de dólares (406 milhões de euros) feito na competição de 2023.

Os direitos comerciais do Mundial feminino na Austrália e Nova Zelândia vão pela primeira vez ser vendidos de forma independente do torneio masculino, acrescentou Infantino.
Lusa/CrioloSports


Print   Email

         

Mais de 10 anos com os desportistas cabo-verdianos

 

 

 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.
 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.