O Vulcânico Futebol Club, fundado a 18 de Julho de 1953, bicampeão do Fogo, está a promover uma campanha a nível nacional e internacional para mobilização de meios para reiniciar a construção da sua sede social.


O lançamento oficial da campanha, segundo apurou a Inforpress, está programado para o dia 18 de Julho, data da celebração do 64º aniversário da fundação do Vulcânico, agremiação desportiva mais antiga da ilha do Fogo, e que, segundo relato histórico, resultou da fusão das então equipas de Luso e do Nazareno.
A sede social, cuja primeira pedra foi lançada no ano de 1987, mas que por razões várias não avançou, localiza-se no bairro de Trás de Shell, a escassos metros do estádio 5 de Julho, e segundo Manuel Roque Silva Júnior, um dos dirigentes do Vulcânico, também conhecido na ilha por Benfiquinha, “agora vai-se reiniciar a construção da sede com um novo projecto de arquitectura” devidamente aprovado pelos serviços técnicos camarários.
A campanha, que pretende mobilizar os cabo-verdianos de uma forma geral e os foguenses em particulares, residentes no país e na diáspora, consiste na contribuição com um saco de cimento ou o valor correspondente, aproximadamente mil escudos (10 euros ou 10 dólares) para que esta agremiação possa atingir este objectivo de há décadas, segundo aquele dirigente do Vulcânico.
Para angariação de recursos financeiros, a direcção do Vulcânico abriu contas em duas instituições bancárias em nome do Vulcânico Clube do Fogo, com NIB 000300004770702610176 (BCA) e 000200001088832110122 (CECV), sendo que o NIF do Clube é 550420231, para facilitar a contribuição de todos.
O projecto consiste numa cave, onde vai funcionar como auditório de suporte a formação de jovens, passagens de vídeos educativos, escola de formação que começa a funcionar na próxima época, e mais dois pisos, sendo um “open space”, que podem ser arrendados para instalação de escritórios, e outro onde funcionará a sede do clube e quartos para recepção de caravanas e que podem ser alugados para a rentabilização de espaços.
A sede social vai ocupar uma área de 256 metros quadrados de terreno disponibilizado pela edilidade de São Filipe há mais de 30 anos, e a primeira fase do projecto, construção da cave, está orçado em cerca de 10 mil contos.
Fonte: Inforpress