A equipa do Vulcânico, bicampeão regional, conquistou este sábado o primeiro troféu da época futebolística 2017/18, ao vencer, no estádio 5 de Julho, a equipa da Académica, vencedora da última edição da taça, por 4-3, na disputada da super-taça do Fogo.



A formação do Vulcânico marcou cedo, aos 14 minutos, por intermédio de Ká, que, na época passada, representava as cores da Académica, contando com ajuda do guarda-redes Djidjé.

A Académica não acusou o golo e partiu à busca da igualdade que aconteceu oito minutos depois, por intermédio de Sy, que, também, contou com ajuda do guarda-redes do Vulcânico, Moleza. Diga-se que os dois guarda-redes não estiveram numa tarde de inspiração.

O Vulcânico voltou a adiantar no marcador no minuto 30 do primeiro tempo, através de Batatinha, que aproveitou da melhor forma um cruzamento de Ka, numa jogada em que a formação da Académica pediu fora de jogo, que não foi assinalado, e bem, pelo trio de arbitragem.

Ainda no primeiro tempo, no minuto 45, a equipa da Académica chegava de novo à igualdade, por intermédio de Fifa, na conversão de uma grande penalidade, já que o jogador do Vulcânico Nick jogou a bola com as mãos, dentro da área, fixando o resultado do primeiro tempo numa igualdade a dois golos.

O primeiro tempo terminou com a marcação de uma penalidade a favor da Académica e o segundo tempo abriu-se com a marcação de uma grande penalidade a favor do Vulcânico, já que nos primeiros 45 segundos, após o recomeço, o guarda-redes Djidjé derrubou Batatinha e o árbitro apontou para marca de grande penalidade e Ká voltou a colocar o Vulcânico à frente do marcador.

Mas o jogador da Académica Sy, que há duas épocas representou as cores do Vulcânico, e um dos melhores, senão o melhor jogador em campo, voltou a igualar a partida na passagem do minuto 26 do segundo tempo, correspondendo assim a uma jogada rápida de contra ataque.

No minuto 45 do segundo tempo, e depois do arbitro ter dado mais quatro minutos de compensação e quando todos aguardavam pelo prolongamento, Zé Manuel, que entrou minutos antes, colocou a bola nos pés de Branco, do Vulcânico, que depois de driblar o guarda-redes Djidjé, rematou para o fundo da baliza, estabelecendo o resultado final em 4-3, a favor do Vulcânico, que assim conquistou o primeiro troféu da época.

O jogo em si não foi brilhante, mas valeu pelos golos, num total de sete, e deixa antever um campeonato a ser bem disputado e com vários candidatos ao título.

No período de manhã, a Associação Regional de Futebol reuniu-se em assembleia-geral para prestação de contas da época passada e os instrumentos (plano de actividades e orçamento) para a época 2017/18.

Além disso, os clubes decidiram por maioria, (nove votos a favor e três contra) apoiar a candidatura de Mário Avelino “Donaia” para a presidência da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF).

No próximo fim-de-semana, 28 e 29 de Outubro, arranca o campeonato regional do primeiro escalão, com a realização dos jogos da primeira jornada, sendo que estas duas equipas, Vulcânico e Académica, voltarão a encontrar-se na primeira ronda.

Jogos da primeira jornada: Botafogo x Cutelinho, Académica x Vulcânico (5 de Julho), Atlético – Valência (estádio “Francisco José Rodrigues” Mosteiros) ABC x Nova Era e Spartak x No Pintcha (5 de Julho).

A equipa de Atlético dos Mosteiros, que se estreia no primeiro escalão esta temporada, recebe domingo, no Francisco José Rodrigues, a equipa do Botafogo para apresentação do plantel para a época futebolística.
inforpress