O enfermeiro, fundador e dirigente do Botafogo, Rolando Lima Barber “Senhor Zuca”, morreu na manhã de quinta-feira, 25, no hospital regional São Francisco de Assis, um dia antes da homenagem que o seu clube pretendia realizar.


Senhor Zuca, que no próximo mês de Maio (13) completaria 92 anos de idade foi hospitalizado quarta-feira em estado crítico e depois de um dia em estado de coma profundo acabou por falecer, mergulhando a cidade e a ilha numa “profunda tristeza” tal era a admiração que as pessoas nutriam para ele.

Nascido a 13 de Maio de 1926 na ilha de Santiago, Senhor Zuca residia na ilha do Fogo há mais de 50 anos, tendo adoptado como sua a ilha do Fogo.

Durante o período colonial desempenhou a função de enfermeiro no hospital regional de São Filipe, Fogo, mas graças à simpatia que granjeou durante os anos, aquando da Independência nacional foi escolhido para desempenhar o cargo de delegado do Governo (o primeiro da ilha do Fogo), tendo exercido a função por um período de 10 anos.

Foi deputado da nação, segundo secretário da Assembleia Nacional e chefiou uma delegação parlamentar que visitou a União Soviética. Como delegado do Governo visitou Alemanha, Açores. Foi delegado da EMPA.

Foi homenageado pelo antigo Presidente da República, António Mascarenhas Monteiro em 1999 com a 1ª classe de medalha do Vulcão, agraciado com diploma de mérito desportivo (2003), homenageado pelo Club Juventude Cabo-verdiana nos EUA (2004) e pela Assembleia Nacional (2005).

Como desportista representou as cores do Boavista, Nazarenos e Rapid (Praia). Foi fundador do Clube Ribeira Brava (São Nicolau), Sporting Club da Boavista e do Botafogo, que como treinador foi campeão de Cabo Verde na época 79/80. Muito mais se podia dizer sobre esta figura Cabo-verdiana.

O dirigente do Botafogo, Manuel Anatólio Fonseca, classificou a figura de Rolando Lima Barber como um conselheiro e uma figura “importante” da ilha do Fogo, adiantando que a direcção vai juntamente com a família preparar um funeral à altura da dimensão da figura.

Este disse que a homenagem que a direcção do Botafogo pretendia presta-lo foi cancelada ainda antes do seu falecimento, indicando que neste momento “há um sentimento de vazio a nível do clube e da própria ilha que perdeu um dos seus filhos”.
Já o edil de São Filipe, Jorge Nogueira, que também acumula a vereação do desporto, disse que é com “profunda tristeza que tomou conhecimento do desaparecimento de Rolando Lima Barber, que é uma figura que marcou o futebol foguense e cabo-verdiano pela forma empenhada como, ao longo dos anos, se dedicou ao desporto”.

Segundo Jorge Nogueira, o “desporto nacional está de luto”, anotando que é por causa da dedicação ao malogrado, que a edilidade tinha previsto para o dia 28 uma homenagem a esta “grande figura”.

“Tudo iremos fazer para que o nome do Senhor Zuca se perpetue e o trabalho realizado ao longo dos anos seja do conhecimento da geração futura”, disse o edil, indicando que uma das grandes infraestruturas desportivas de São Filipe passará a ter o nome desta “figura marcante” para o desporto e a sociedade foguense em geral, quer pelo trabalho efectuado ao longo dos anos na área de saúde, desporto, política e outros.

Jorge Nogueira indicou que algumas actividades da festa do Dia do Município e da Bandeira de São Filipe serão condicionadas, observado que seria complicado suspender todas as actividades da festa.

Tendo em conta o percurso de Rodando Lima Barber, o edil disse que a câmara vai articular com a família para que o mesmo tenha um funeral com maior dignidade e honra possível.

O funeral de Rolando Lima Barber está agendado para a próxima sexta-feira, 27 de Abril.
Inforpress