O Vulcânico derrotou hoje, no estádio 5 de Julho, em São Filipe, a Académica nas, lotarias de grandes penalidades e é o primeiro finalista da edição 2019/20 da “taça Fogo” em futebol.



O resultado durante o tempo regulamentar foi de um empate a um golo e nos penaltis o Vulcânico venceu por 5-4.

Numa primeira parte equilibrada, o Vulcânico marcou aos 38 minutos, por intermédio de Fabinha, na sequência de um livre marcado do lado direito do ataque do Vulcânico, resultado com que terminou a primeira parte.

A segunda metade do desafio foi toda ela dominada pela Académica que desperdiçou cinco grandes oportunidades flagrantes de golos, sendo três por intermédio de Cláudio e Sy desperdiçou uma grande penalidade ainda no decorrer do jogo.

O mesmo jogador, Sy, viria a marcar na passagem do minuto 24 do segundo tempo, resultado que viria a permanecer até o final do jogo.

Na marcação de grandes penalidades, a Académica até esteve em vantagem, pois o Vulcânico foi o primeiro a desperdiçar por intermédio de Victor, com Djidjé a travar o remate, mas logo a seguir Jardel não conseguiu fazer o melhor e rematou para a defesa do guarda-redes do Vulcânico Oblack.

Cláudio, que durante o jogo desperdiçou várias ocasiões para colocar Académica na frente e conseguir assim o passaporte, viria a transformar o penalti de forma denunciado e permitindo a defesa de Oblack e a seguir Branco do Vulcânico atirou para o golo colocando a sua equipa na fase final da taça Fogo em Futebol.

A Académica, vencedora da edição do ano passado, cai assim nas meias-finais por culpa próprio, pois uma equipa que desperdiça tantas oportunidades claras de golo num só jogo, incluindo uma grande penalidade, dificilmente consegue vencer o jogo.

O melhor jogador em campo foi o guarda-redes Oblack, que defendeu três situações claras de golos mais um penalti durante o jogo e outras duas penalidades no desempate e diga-se que se o Vulcânico está na final tal se deve ao seu guarda-redes e, no pólo contrario, está o jogador da Académica, Cláudio, que não esteve na sua tarde.

O árbitro não esteve ao nível do jogo e cometeu muitos erros, sobretudo na decisão das faltas e nos critérios de amostragem de cartões amarelos.

O adversário do Vulcânico na final da taça Fogo em futebol é encontrado domingo, no jogo que coloca frente a frente o Botafogo e Spartak.

JR/JMV

Inforpress