O Juventude Futebol Club do Fogo interpôs protesto contra Associação Académica do Fogo, líder do campeonato regional em igualdade pontual com o Vulcânico, por hipotética utilização de um jogador irregular no jogo a contar para a décima primeira jornada.


O protesto deu entrada na Associação Regional de Futebol no dia 10 de Fevereiro e vai ser submetido ao Conselho Jurisdicional para a apreciação e decisão.
No documento, a formação de Juventude, que neste jogo tinha perdido por quatro bolas a uma, alega que o jogador da Académica Bruno foi utilizado de forma irregular, baseando para tal no artigo 110º do regulamento disciplinar da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF).
Na acção de protesto, a formação de Juventude argumenta que o jogador depois de ver três cartões amarelos cumpriu um jogo de castigado e que deveria também cumprir outro jogo de castigo, após uma série de outros dois cartões amarelos, perfazendo um total de cinco, como prevê o regulamento disciplinar.
Com o protesto, a formação de Juventude, que ocupa a ultima posição, com apenas quatro pontos, menos três do que o penúltimo classificado, apela a Associação que considere o protesto procedente e considere irregular a utilização do jogador nesta partida e, em consequência, aplicar a pena derrota à formação de Académica e multa correspondente.
Caso o protesto venha a ser julgado procedente, a Académica, que ocupa a primeira posição, com os mesmos 25 pontos que o Vulcânico, cai para segunda posição, enquanto o Juventude vai adicionar mais três pontos e alcançará a formação de União, lutando assim para manutenção no primeiro escalão.
Este é o primeiro protesto que deu entrada na Associação Regional de Futebol na época 2015/16, apesar de outras equipas, no início da época, terem manifestado intenções de protestar alguns jogos, o que não chegou entretanto a acontecer.
Fonte: inforpress