O presidente da Câmara Municipal do Maio afirmou que a falta de mão-de-obra qualificada e equipamentos na ilha têm causado constrangimentos e atrasos na conclusão das obras do estádio municipal, prevista para ainda este ano.


Em declarações à Inforpress, o edil maiense, Miguel Rosa, asseverou que é pretensão da autarquia concluir a infraestrutura desportiva ainda este ano, sustentando, entretanto. que há “empecilhos” que às vezes ultrapassam a própria vontade da câmara.
“O ritmo do estádio e de outras intervenções que estamos a fazer estão em sintonia com o ritmo da ilha. O estádio era para estar concluído, mas temos tido problema de mão-de-obra. Dou como exemplo: a empresa que está a fazer a cofragem esteve há mais de um mês sem ferreiro, a ilha não tinha ferreiro disponível, teve que mandar vir da cidade da Praia”, indicou.
No entender do autarca, o ideal seria ter mão-de-obra local, para a concretização dos trabalhos.
Esta carência, segundo Miguel Rosa, representa um dos problemas sentidos na ilha, nomeadamente, na área da construção civil.
Outro constrangimento que tem condicionado a conclusão da obra, de acordo com este responsável, tem a ver com o défice de equipamentos, realçando que a própria câmara municipal e empresas que estão sediadas na ilha não têm equipamentos à altura da dinâmica do município.
“Não concluímos o estádio não por falta da verba, temos verba disponível, temos estado a trabalhar, mas é o próprio ritmo da ilha, a resposta que a ilha não está a conseguir dar para assim concluirmos os trabalhos”, frisou.
Lembrou que no Maio o comboio de desenvolvimento está numa fase de transição
Além de constrangimentos relacionados com a mão-de-obra e falta de equipamentos, a ilha, de acordo com Miguel Rosa, enfrenta outros constrangimentos relacionados com a capacidade de resposta nas outras áreas.
“A ilha está numa fase de transição de ilha pacata para uma ilha que se quer desenvolvida ou com uma maior dinâmica. E só para dar outro exemplo: aos fins-de-semana, às vezes a ilha recebe cerca de 200 pessoas da cidade da Praia, os próprios operadores das aéreas de restauração não conseguem dar respostas a essa demanda”, apontou, desafiando os mesmos a acelerarem o ritmo para puderem acompanhar o desenvolvimento do município.
As obras do Estádio Municipal, situado na Cidade do Porto Inglês, estão orçadas em cerca de 55 mil contos.
Inforpress