O Académico do Aeroporto do Sal fez hoje a colocação da primeira pedra da construção da piscina olímpica e centro de estágio, nos Espargos, cujo acto foi testemunhado pelo ministro dos Desportos, Elísio Freire.


Depois de quase um ano da inauguração da Academia de Futebol do Académico do Sal, a direcção do clube desportivo vem dar à estampa a nova fase do projecto que propõe a construção da piscina olímpica e centro de estágio, cujo inicio das obras está prevista para o mês de Julho próximo.
Parabenizando a ousadia, já que se trata da primeira piscina olímpica em Cabo Verde, o ministro do Desporto, Fernando Elísio, anunciou a intenção do Governo em alargar a parceria com a Academia de Futebol do Académico do Sal para 2018, para que o clube possa finalizar o projecto e colocá-lo ao serviço comunidade.
“Quando o Governo vê que há hipótese de sucesso, que o projecto é muito bem pensado, e que serve acima de tudo à comunidade e os objectivos do país, o Governo não tem pejo nenhum em apoiar. Somos parceiros de todos os clubes de Cabo Verde que tenham projectos consistentes, baseados numa projecção realista e que sirva a comunidade onde está inserida”, frisou.
Já o edil salense, Júlio Lopes, para quem o mais importante é a obra e não quem faz a obra, insiste que o que de facto importa é fazer as coisas para melhorar a qualidade de vida das pessoas, nesse caso concreto, dos jovens.
“Não é importante quem faz a obra. O importante é o Sal crescer e fazer obras para servir a comunidade. Fomos claros nos nossos propósitos quando nos apresentamos perante o eleitorado dizendo que a nossa prioridade é a nossa juventude. E o desporto é um canal importante para beneficiarmos os jovens no Sal”, precisou.
Por sua vez, e visivelmente satisfeito por mais esta etapa que visa a edificação de um espaço que vai servir crianças desde os 5 anos, jovens e adultos até 60 anos, o presidente do Académico Aeroporto do Sal, Carlos Moniz ou Cabet , disse que há que ser ousado e aproveitar as oportunidades.
“Temos que ser ousados e as oportunidades devem ser aproveitadas. Vamos continuar a desenvolver o nosso trabalho, no sentido de criar as condições para que o Académico seja uma equipa auto-sustentável, contribuir para o desenvolvimento do desporto no país e que Sal seja uma referência a nível regional e nacional”, concluiu Cabte, agradecendo a todos os patrocinadores deste projecto.
Fonte: Inforpress