A reunião da ARFSS desta terça-feira foi muito movimentada. O caso das duplas inscrições parece finalmente unir os clubes no sentido de eliminar de uma vez por todas desse cancro que corrói os clubes na fase do pré época.


Os clubes propuseram a ARFSS uma lei que pune os infractores (jogadores) que assinem dois ou mais compromissos desportivos com mais de uma equipa.


A proposta irá para a assembleia nesta quinta-feira e a julgar pela reacção e feedback dos clubes presentes dificilmente não será aprovada, pois a esmagadora maioria dos clubes presentes (14 das 20 equipas) mostraram-se firmes na decisão de punir os atletas que "enganam" os clubes assinando mais do que um compromisso.


Houve inclusive, quem propôs a suspensão desses infractores de 2 anos, como acontece na Associação Regional de Basquetebol em Santiago Sul.


Recorde-se que vem sendo prática nos últimos anos, os jogadores recebem dinheiro, assinam duas fichas e só efetuam inspeção médica com a equipa que lhe entregar mais dinheiro, aproveitando das fragilidades do regulamento que só aceita inscrições completas de clubes na ARFSS.


Perante este cenário houve quem afirma-se perante todos os presentes que este ano, não hesitará em falsificar a ficha de inspeção médica, porque só assim poderá combater os jogadores desonestos.


Por seu lado o presidente do Kumunidade, disse que, assim como existe corrupção em vários outros sectores da sociedade e são considerados crime, esta mesma pratica tem que ser considerada crime punível, pois envolve dinheiro e má-fé de alguns jogadores e dirigentes que ano após ano vem manchando o bom nome da região desportiva de Santiago Sul.

Este assunto é também cavalo de batalha da candidatura de Zé Piguita a ARFSS. O candidato promete software de gestão que vai ajudar a prever esses casos.

Victor Hugo Fortes