A Académica da Praia considera que houve precipitação no cancelamento da época desportiva 2019/20, por causa da covid-19 e reivindica a conclusão do campeonato ou a entrega do título de Santiago Sul à sua equipa de futebol.


Esta reivindicação foi manifestada pelo presidente da Comissão de Gestão da Académica da Praia, Victor Fidalgo, para quem a Académica, que já levava onze pontos de vantagem sobre o segundo classificado no regional de Santiago Sul, quando restava quatro jornada para o término da prova, sente-se prejudicada com esta paralisação.
Nesta óptica considerou, em entrevista à TCV, ser de justiça a conclusão da prova e que na impossibilidade da retoma da competição, a Académica da Praia seja declarada campeã regional, tendo sublinhado que para além de títulos, a “Micá” pode perder patrocínio, por causa da inconclusão da prova.
Sabe-se, entretanto, que a direcção da Associação Regional de Futebol de Santiago Sul, que também tinha considerado precipitada esta decisão de cancelar a prova, já manifestou à Inforpress falta de condições temporárias e financeiras para a retoma da prova, ainda que a Federação Cabo-verdiana de Futebol assuma as responsabilidades financeiras.
Aquando do cancelamento de todas as provas desportivas, anunciado pelo Governo que garantiu ter o aval unânime de “todas as federações desportivas”, a Académica da Praia liderava o regional de Santiago Sul com 11 pontos de vantagem sobre os segundos classificados, Boavista e Travadores, quando faltava quatro jornadas para o término.
Já na segunda divisão, a equipa de Eugénio Lima já tinha garantido a subida ao escalão principal, enquanto Fiorentina, São Filipe e Tira Chapéu procuravam a segunda vaga, que, estatutariamente, dá acesso ao escalão principal.
SR/ZS
Inforpres