O treinador da Académica da Praia reivindicou hoje o título de campeão da presente temporada, e do segundo escalão ao Eugénio Lima, e considerou que a direcção da Associação tem poderes estatutários para o desfecho do campeonato.


Em declarações à Inforpress, Humberto Bettencourt disse que já sente algum sentimento de injustiça pelo impasse no desfecho da prova, quando a Académica da Praia já estava com 11 pontos de vantagem sobre os segundos classificados, Boavista e Travadores, e a um ponto da conquista do campeonato.
Nesta lógica, defendeu igualmente a atribuição do título regional do II Escalão ao conjunto de Eugénio Lima, bem como a subida deste clube à primeira divisão na próxima temporada, já que na altura, restavam apenas quatro jornadas para o término da prova, a “Micá” estava destacada, assim como a formação de Eugénio Lima.
O timoneiro da “Micá” argumentou que a Associação Regional de Futebol de Santiago Sul, eleita pelos clubes, tem todos os poderes para a tomada de uma decisão que melhor sirva o interesse dos filiados.
“Pessoalmente defendo que, pela forma como já se desenrolava o campeonato, não faz sentido levar a decisão do desfecho ou da homologação, ou não, da época para uma assembleia de clubes. Pelo que vimos em outras regiões desportivas esta prática pode fazer prevalecer a rivalidade e ódio em prejuízo para o potencial campeão”, alertou Bettencourt.
A este propósito disse que não faz sentido um órgão eleito recorrer a assembleia-geral, com o argumento de que a “decisão deve ser tomada pelos órgãos sociais da associação para que estes possam exercer os poderes conferidos por altura da eleição”, razão pela qual considera indispensável “manter a tabela classificativa” tal como estava aquando da paragem do campeonato.
Bettencourt sugere a mesma proposta, tanto para o título como para a luta pela subida e para a descida de escalão e, ao mesmo tempo, propõe a realização da  final da Taça de Santiago Sul entre Boavista e Celtic no início da próxima época desportiva, para que o vencedor possa disputar a supertaça com a Académica da Praia.
Esta é a forma encontrada por Humberto Bettencourt para “exigir justiça na região desportiva de Santiago Sul”, afirmando mesmo que a sua tese é corroborada pela opinião pública e comunidade futebolista que numa sondagem da rede social “Futebol Nacional – Cabo Verde”, em que 76 por cento (%) contra 24% considera de justiça atribuir o título de campeão à Académica.
De resto, afiançou que dirigentes dos diversos clubes têm estado a fazer muito para o futebol e que não vê outra decisão mais justa senão terminar a prova com títulos.
SR/HF
Inforpress