O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) julgou “improcedente” o recurso apresentado pela União Desportiva de Santo Crucifixo contra o Paulense Desportivo Clube e o jogador Christopher que acusaram de ter dupla inscrição.


O CJ da FCF deu como provado que o Santo Crucifixo não cumpriu os requisitos previstos nos regulamentos aplicáveis pelo que concluiu que o jogador Christopher “não foi inscrito”, nos termos regulamentares, pela União Desportiva de Santo Crucifixo já que, apenas a entrega da ficha de inscrição do jogador “não o legitima nem o qualifica” para representar um clube, no caso concreto, a União Desportiva de Santo Crucifixo.
Os do CJ da FCF consideraram legítima a inscrição de Christopher no Paulense, tendo em conta que, não estando devidamente inscrito para representar a União Desportiva de Santo Crucifixo “nada obstava” a que se fizesse a inscrição do jogador no Paulense Desportivo Clube, desde que cumpridos todos os requisitos.
Por isso, o CJ considerou que “não há dupla inscrição do jogador” Christopher e, por isso, decidiu “julgar improcedente” o recurso apresentado pela União Desportiva de Santo Crucifixo, mantendo o Acordão do Conselho Jurisdicional da Associação de Futebol da Região Norte de Santo Antão, recorrido, e, em consequência, confirmar “os resultados dos jogos em que o jogador foi utilizado.
Fonte: Inforpress