O presidente do Clube Sportivo Marítimo do Porto Novo, António Maurício, manifestou-se, hoje, "triste e desalentado" com a decisão deste clube de não participar, esta temporada, nas provas oficiais em Santo Antão - Sul, "por razões financeiras".


"É com muita tristeza e desalento que confirmo que o Marítimo não vai participar esta época nas competições por razões estruturais e financeiras", notou António Maurício, que está à frente desta agremiação desportiva desde a temporada 2008/2009.
O Marítimo tem funcionado com base em recursos disponibilizados pelo próprio presidente do clube, situação que se tornou "insustentável", avançou António Maurício, que lamentou a paragem da equipa esta temporada, mas que pode ser motivo de reflexão por parte dos associados.
"O Marítimo é exclusivamente financiado pelo seu presidente. A classe empresarial não está vocacionada ainda para patrocinar o desporto. Além disso, o apoio que temos de alguns colegas dirigentes não é expressivo", explicou o líder do clube, para quem esta instituição, fundada em 1981, precisa de uma estrutura que funciona.
António Maurício se diz, entretanto, "disponível" para continuar à frente dos destinos do clube desde que seja criada "uma base sólida de apoio".
Caso contrário, o presidente do Marítimo do Porto Novo entende que será "muito difícil" pôr o clube a funcionar nas condições actuais, sem o necessário engajamento da maioria dos dirigentes e associados.
A época futebolística em Santo Antão - Sul, que arranca no dia 29 de Outubro, fica marcada pela desistência também da equipa do Tarrafal, igualmente por alegadas dificuldades financeiras.
Assim, as competições em Santo Antão - Sul vão ser disputadas entre sete dos nove clubes federados, ou seja, pela Académica, Fiorentina, Inter, Lajedos, Santo André, Sanjonense e Sporting.
Fonte: Inforpress