O presidente da câmara do Porto Novo reconheceu que a requalificação e arrelvamento do campo de futebol de Coice de Chã, na Ribeira das Patas, foi “um compromisso” que seu executivo “não conseguiu materializar”, neste mandato.


“Em Ribeira das Patas, fica de uma forma clara este compromisso assumido, que não conseguimos materializar até agora”, admitiu Aníbal Fonseca, durante o acto inaugural das obras de requalificação do campo de futebol de Círio, também nessa localidade do interior do município.
Reconheceu que a câmara do Porto Novo tinha prometido requalificar e relvar o campo de futebol de Coice de Chã e sua transformação numa infra-estrutura para receber jogos oficiais, “meta” que, neste mandato, não conseguiu materializar, avançou.
As declarações do edil do Porto Novo surgem a propósito da “indignação” manifestada por alguns jovens da Ribeira das Patas, pelo facto de a edilidade não ter cumprido, ainda, a “promessa” de requalificar e relvar o campo de Coice de Chã.
Os jovens aproveitaram a inauguração das obras de requalificação do campo de Círio para mostrar o seu desagrado em relação ao incumprimento da promessa por parte do elenco camarário, que consideram “falta de respeito” para com os praticantes do futebol em Ribeira das Patas e no interior do município.
“Não foi possível materializar este compromisso porque o projecto requer avultados investimentos, mas vamos continuar a trabalhar para a sua materialização”, prometeu Aníbal Fonseca, considerando, porém, que os habitantes da Ribeira das Patas viram “o grande comprometimento” da sua câmara para com Ribeira das Patas.
“Se por um lado não conseguimos requalificar e relvar o campo de futebol de Coice de Chã, conseguimos fazer a requalificação urbana dessa localidade, futura zona de expansão da vila da Ribeira das Patas”, notou o autarca, destacando ainda a reabilitação de mais de uma centena de habitações, nessa localidade.
A requalificação do campo de Círio representou um investimento de 2.500 contos, segundo Aníbal Fonseca, informando que a sua câmara entregou aos jovens locais um espaço “em muito melhores condições” para a prática do futebol, dotada de “uma componente fundamental de segurança”.
JM/AA
Inforpres