Giorgio “Humberto” Raggi parece um nome italiano, mas não é.


Nascido no dia 17 de Fevereiro de 1938, na llha de São Vicente, Jorge Humberto Gomes Nobre de Morais, representou a Académica do Mindelo enquanto estudante no Liceu.

Em  outubro de 1955, após a conclusão dos estudos secundários, mudou-se para Coimbra, Portugal, para estudar medicina na Universidade de Coimbra.

Sem problemas, encontrou um lugar na camada jovem da Académica de Coimbra, clube historicamente ligado à vida universitária.

Na sua estreia nos juniores da Académica marcou três golos ao clube rival, a União de Coimbra, num derby que ficou marcado na historia da cidade.

No ano seguinte, 1956, estreou-se na primeira equipa. Infelizmente, nos minutos finais do encontro, sofreu uma lesão grave no joelho esquerdo que o mantém parado por três meses.

Depois de se recuperar da lesão, o treinador Cândido de Oliveira, decidiu deixá-lo amadurecer um pouco mais com a equipa formação, antes de trazê-lo de volta para jogar com a equipa A.

Comecou com a equipa principal em 1957, justamente no período em que, segundo alguns, "A Briosa" jogava o melhor futebol de Portugal.

Permaneceu em Coimbra por seis temporadas, mostrando grandes habilidades, velocidade surpreendente e técnicas incomuns para a altura.

Uma mistura que lhe abriu as portas para a seleção B portuguesa, tendo apontado um memorável hat-trick logo na estreia contra a França.

Apontou 20 golos em  73 jogos pela Académica.

Em 1961, tornou-se no  primeiro jogador a transferir-se do campeonato português para a Série A italiana.

Aos 23 anos, ainda estudante de medicina, foi convidado pelo técnico Helenio Herrera, antigo treinador do Belenenses, para fazer um teste no Inter de Milão.

Convenceu logo, ao apontar dois golos nos 45 minutos que jogou frente ao Sparta de Belgrado, num torneio triangular de início de época.

Após um período de negociações, com muitas dúvidas, pois não estava realmente convencido em deixar os seus estudos para seguir o caminho de profissional de futebol, muda da Académica de Coimbra para o Inter, com um rico contrato, maior ate´então paga a um jogador do campeonato português.

O mesmo confessa que  entregou à Académica de Coimbra uma parte significativa, em gesto de reconhecimento e gratidão por quanto a Briosa lhe havia proporcionado.

Uma vez alcançado o acordo, a liderança da equipa do Inter tinha de ultrapassar o limite de jogadores estrangeiros impostos pela liga.

De facto, em verão de 1961, o campeonato italiano reabriu o limite de dois estrangeiros e um descendente (filho de italianos) por clube.

Inter já havia contratado o avançado inglês Gerry Hitchens e o estrela espanhol Luis Suarez, campeão pelo Barcelona, era titular indiscutível.

Com o limite de dois estrangeiros esgotado, inventaram-lhe um pai italiano, dai o nome Giorgio “Humberto” Raggi.

No Inter, só era chamado em jogos do campeonato quando Gerry Hitchens ou Luis Suarez não estavam no seu melhor. Jogou mais em jogos das provas europeias, apontando cinco golos, em um ano no clube. 

Marcou três frente aos alemães do Colónia, no desempate dos 16 avos de final da Taça das Feiras.

Marcou um na vitória de 1-0 do Inter frente aos escoceses do Hearts, na primeira mão dos oitavos-de-final da Taça das Feiras.

Marcou ainda em jogo da Taça de Itália.

Foi depois emprestado ao Lanerossi Vicenza, onde passou duas épocas e foi sempre titular.

Em 1964, regressou à Académica onde jogou mais três anos.

Apesar de ser difícil conciliar, foi fazendo ao mesmo tempo algumas cadeiras do curso de Medicina nas universidades de Milão e de Pádua.

Acabaria por concluir a licenciatura, em 1966, quando regressou a Portugal e a Coimbra.

Depois foi para a Angola como tropa militar.

De regresso a Portugal fez a especialidade de pediatria no Hospital Pediátrico de Coimbra.

O destino levou-o depois para Macau, onde ainda hoje reside, embora reformado.

Foi homenageado em 2009 em Coimbra pela Académica com o descerramento de uma placa e uma curta cerimónia no relvado antes de um jogo com o V. Guimarães, que os estudantes venceram por duas bolas a uma.

Já havia sido homenageado pela casa de Portugal em Macau, durante um jantar de Natal, quando recebeu duas simbólicas botas de ouro - uma em tamanho real, e outra mais pequena, referência às crianças que tratou durante vários anos.

ADP/dn
CrioloSports