Avelino Semedo, do Grupo Desportivo, Recreativo e Cultural da Assomada, acusa a Federação Cabo-verdiana de Boxe e o seu presidente Flávio Furtado de diferenciação em relação ao seu grupo.

Em causa esta a não cedência, segundo Avelino Semedo, do ringue para a realização do torneio de boxe, programado para este fim-de-semana. Para o dirigente desportivo é a terceira vez em cima de hora, a FCB decide por não ceder o ringue e sem qualquer justificação.

Para o Avelino Semedo trata-se de uma falta de respeito para como o grupo, os atletas e parceiros. O adiamento implica custos e prejuízos avultados e Avelino Semedo pergunta quem vai ajudar a arcar com as despesas, já que as Câmaras Municipais de Santiago Norte só apoiam o futebol.

Segundo Avelino Semedo, o Grupo desportivo da Assomada é responsável pela implementação do boxe na região norte de Santiago e os atletas que hoje jogam são frutos da massificação promovida pelo grupo.

O dirigente desportivo não entende a atitude da FCB e diz haver desentendimento entre o técnico “Preta” que apoio a realização do evento e Flávio Furtado daí a não cedência do ringue.

O grupo desportivo da Assomada, avisa que FCB tem até segunda-feira para justificar o porquê da não deu o ringue para a realização do torneio.

Em resposta as acusações o criolosports ouviu o presidente da FCB. Segundo Flávio Furtado a FCB, despachou a carta do Grupo desportivo da Assomada para a Associação Regional Santiago Norte, porque a FCB não trata diretamente com os clubes ou associações.

Primeiro porque “A FCB não reconhece o grupo que Avelino Semedo diz representar. Não é um clube e não sei como consegue angariar apoios para realizar torneios do tipo. Não está licenciado a realizar boxe. Como promotor deveria pagar a FCB para realizar eventos do tipo” 

Para Flávio Furtado “Se quiser realizar, que seja com material próprio. Não vai ser com material da FCB que o grupo vai fazer boxe, explorando atletas para ganhar dinheiro”

Segundo a FCB disponibiliza o material á Associação regional e não diretamente ao grupo em causa, desde que for disponibilizado um projeto que respeite as normas do boxe amador em Cabo Verde e regras internacionais, despachou Flávio Furtado.

O projeto deve indicar o local a ser realizado a prova. Recinto interno ou externo, pois trata-se de um ringue nacional e não pode ser cedido de qualquer forma. Existe um ringue em Pedra Badejo para concertar, a o grupo pode faze-lo e usar devidamente.

Segundo o presidente da FCB existe um “grupinho” atrás do Sr. Avelino Semedo que quer dar cabo de tudo que está sendo feito. Flávio acusa Avelino Semedo de ser “uma bactéria usada como vector para desestabilizar, já que quando estiveram em posição de decisões não fizeram nada e agora querem acabar com tudo que está sendo feito".