A Associação Regional de Andebol de Santiago Sul “aposta fortemente” na divulgação da modalidade a nível regional/nacional para a presente temporada, 2016/17, e quer implementar o mini-andebol, visando a sustentabilidade do andebol a médio prazo.


Em entrevista à Inforpress, a presidente Maria Martins avançou que vai implementar o mesmo sistema de competição dos últimos tempos, já que para além da Supertaça “Carlos Alfama” com que abriu a época desportiva, vai ainda haver o Torneio de Abertura, o Campeonato Regional e a Taça da Praia.
A época 2016/17, segundo a dirigente, vai ser disputada nas categorias séniores, sub-20, sub-17, sub-15, sub-12 e mini-andebol, nos escalões masculinos e femininos em representação de sete equipas séniores, estando neste momento a associação na sua fase de finalização das inscrições cujo termino está previsto para 31 do corrente.
A nível do mini-andebol, a associação aposta em trabalhar para que na próxima temporada possa haver competições entre escolas do Ensino Básico, razão por que vai levar a cabo uma acção de sensibilização junto dos estabelecimentos de ensino para expor o projecto junto da direcção das escolas visando a formação de equipas.
Para além das equipas da Praia, o andebol na região desportiva de Santiago Sul continua a contar com agremiações de Santiago Norte, já que equipas de São Domingos e Santa Catarina de Santiago competem nesta região.
Maria Martins reconhece o peso de Santiago Sul no andebol em Cabo Verde, tendo avançado à Inforpress a sua intenção em partilhar o seu plano de actividades com as outras associações regionais de andebol do país, bem como receber planos das congéneres, para a melhoria da competitividade do andebol em todo o território nacional.
Para a materialização dos seus projectos, a nova presidente da Associação de Andebol de Santiago Sul espera contar com o envolvimento dos clubes, treinadores, federação, antigos praticantes de forma a que a associação que dirige possa melhorar os aspectos tácticos e técnicos desta modalidade.
“Só assim vamos elevar o andebol em Santiago Sul a um nível considerável. É claro que este trabalho vai reflectir quando esta região encontrar com outras regiões”, alerta Maria Martins que almeja uma “parceria forte da federação”, da gestão do pavilhão desportivo e das Câmaras Municipais, com representatividade nas provas em Santiago Sul.
Do programa de actividades, a associação pretende trabalhar também junto com a federação nacional da modalidade, com vista a dotar os árbitros e treinadores de formação para melhoria de performance.
Fonte: Inforpress