Fábio Semedo, central da seleção nacional de andebol sub 21, segundo lugar na fase mundial do IHF Trophy, foi o goleador do torneio mundial e foi escolhido para o 7 ideal da competição.



O jogador do Belenenses, tem 20 anos e é filho da Assunção Fernandes, a fundadora da equipa feminina de Assomada em Portugal e coordenadora do projeto Mini Andebol em Cabo Verde.
O criolosports conversou com o goleador

Criolosports: Porque escolheste jogar por Cabo Verde?

Fábio Semedo: Esta oportunidade surgiu antes da primeira fase do troféu IHF quando um dos dirigentes da federação viu o meu jogo, falaram com a minha mãe sobre a possibilidade de representar Cabo Verde. Sem pensar duas vezes aceitei. Apesar de ter nascido e crescido em Portugal, Cabo Verde é onde estão as minhas origens. Relaciono-me mais com os ideias, educação cabo-verdianas do que qualquer nacionalidade.

Criolosports: A tua mãe teve alguma influência nesta escolha?

Fábio Semedo: A minha mãe teve influência no sentido que ao longo dos anos nunca me fez esquecer as origens. Sempre me incutiu a boa educação de um cabo-verdiano mas a partir do momento em que me propuseram representar Cabo Verde, a minha mãe apenas deu a sua opinião, que apoiar-me-ia independentemente qual fosse a minha decisão.

Criolosports: Quando chegaste a seleção, qual foi a tua primeira impressão?

Fábio Semedo: Amei desde o primeiro momento! O relacionamento com os meus colegas foi muito fácil. Conheci amigos para a vida sem dúvida.

Criolosports: Como avalias a nossa prestação na fase mundial na Bulgária?

Fábio Semedo: Apesar de tudo, foi muito boa! Para uma equipa que o objetivo era passar a primeira fase chegar última e mesmo assim ficar em segundo foi alguma coisa que no início muita gente nem pensava que fosse possível...

Criolosports: Ficaste no 7 ideal e foste o melhor marcador. A nível individual teve algum sabor especial?

Fábio Semedo: Claro que sim! Era o reconhecer de um trabalho que todos os dias. Foi o reconhecer.

Criolosports: Depois da conquista da fase continental, o Mundial era para ti um objectivo possível?

Fábio Semedo: Sem dúvida! Pensamos, que já aqui chegámos...

Criolosports: Como vês o futuro dessa seleção? Achas que podem avançar juntos, para o escalão superior e representar Cabo Verde.

Fábio Semedo: Talento na nossa seleção é o que não falta, este resultado nesta competição é a prova viva!
Criolosports: Mas sentes que há apoio institucional para esse projeto avançar?

Fábio Semedo: Acho que poderia haver muito mais. Chegamos onde chegamos apenas com o esforço dos atletas e dos poucos elementos da federação de andebol, que sem dúvida foram o nosso grande pilar e das poucas pessoas que nos apoiaram e nos ajudaram dentro das suas possibilidades.

Criolosports: Como encaras a tua carreira profissional? Que saltos queres dar a nível do andebol?

Fábio Semedo: O meu sonho sem dúvida é jogar nos grandes campeonatos mundiais, o campeonato espanhol, alemão ou francês, e participar por Cabo Verde no campeonato do mundo e olímpico.