A atleta olímpica cabo-verdiana Maria Andrade, praticante de taekwondo, encontra-se no Japão onde irá dissertar num workshop enquanto Jovem Inspiradora de Mudança (YCM, sigla em inglês), do Comité Olímpico Internacional.


Zezinha, nome porque é tratado esta jovem atleta residente nos Estados Unidos da América, tem a incumbência de partilhar a sua experiencia como atleta e a sua luta para chegar aos Jogos Olímpicos de Tokio’2020.
Este workshop, de acordo com o Comité Olímpico Cabo-verdiano, enquadra-se no programa “Share the Dream 2020” (compartilhe o sonho de 2020), proveniente de uma parceria entre a empresa Panasonic, patrocinador top do COI, e o YCM Program, com vista levar ao país o Espírito Olímpico, com os atletas que já estão na luta para chegar ao evento que acontece daqui a dois anos.
Nascida em São Vicente, onde foi detectada como talento para o taekwondo, Zezinha transitou para os Estados Unidos pelas mãos do seleccionador nacional, Joseph Pina, com quem começou um treino de alto rendimento, que lhe rendeu, um ano e meio mais tarde, de forma surpreendente, a qualificação para os Jogos Olímpicos do Rio’2016.
Depois desta participação, a atleta beneficiou de uma bolsa da Solidariedade Olímpica, para continuar os treinos e tentar a qualificação para os Jogos de Tokio.
“É esta história que Maria Andrade pretende partilhar com estudantes das escolas de todo o Japão, que estarão presentes no evento”, lê-se na nota do COC, que sublinha que o programa pretende com estes workshops criar nas crianças “o espírito de equipa, a perseverança, a capacidade de comunicação e a criatividade”.
“Cabo Verde dá assim mais um passo rumo a projecção internacional dos nossos atletas, indo não só levar a sua experiência, mas o nome do país além-fronteiras”, conclui o documento que vimos citando.
Maria Andrade afigura-se entre os 76 nomeados pelo Comité Olímpico Internacional (COI) como Jovem Inspirador de Novas Mudanças, desde Dezembro de 2017.
Inforpress