A atleta Maria Andrade esteve recentemente no Japão, onde participou num workshop, com objetivo de partilhar a sua experiencia como atleta, no âmbito da sua escolha como Jovem Inspiradora de Novas Mudanças (YCM) pelo Comité Olímpico Internacional.


Em conversa Andrade contou sobre a experiência vivida na “terra do sol nascente”.
Segundo diz “foi uma boa experiência tive oportunidade de partilhar um pouco da minha historia e a minha jornada desportiva, para alguns alunos de uma escola no Japão, também passei a conhecer um pouco da vida dos alunos, fui muito bem tratada, e as pessoas são muito amáveis, teve a oportunidade de ver muitas coisas novas”.
Este workshop surgiu numa parceria entre empresa Panasonic, patrocinador Top do COI, e o YCM, programa com vista levar ao país o espirito Olímpico, enquadrado no programa “Share the dream 2020”. Maria Andrade não achou indiferente a visita à empresa patrocinadora olímpica.
“Me levaram para conhecer a empresa Panasonic e fiquei muito encantada com o avanço tecnológico e tive a oportunidade de apreciar e desfrutar das maravilhas das cidades”.
Não obstante às maravilhas de que Tóquio carrega, Maria Andrade também levou Cabo Verde consigo e apresentou o país aos japoneses.
“Eles perguntaram e ficaram encantados com o nosso Cabo Verde porque eles simplesmente não sabiam da existência de Cabo Verde”, revela.
Acrescenta ainda a atleta “partilhei um pouco da nossa cultura e falei muito da minha ilha maravilhosa, São Vicente. Dançamos uma música da Mayra Andrade e também brincamos um pouco de Taekwondo e diverti-me muito”.
A atleta Maria Andrade nasceu na ilha de São Vicente, onde foi detetada como talento no Taekwondo, transitou para os Estados Unidos pelo selecionador nacional, Joseph Pina, onde começou um treino de alto rendimento, que lhe rendeu, um ano e meio mais tarde, de forma surpreendente a qualificação para os Jogos do Rio2016.
Maria Andrade beneficiou-se com a bolsa da Solidariedade Olímpica, depois desta participação para continuar os treinos e tentar se qualificar para os Jogos de Tóquio.
No entanto desde o dia 18 deste mês encontra-se em São Vicente para dar continuidade ao programa de que faz parte, com o empreendedorismo social através do desporto, que será lançada já no próximo dia 29 de setembro, no centro Nhô Djunga em São Vicente.
Este projeto visa encorajar crianças e jovens, especialmente meninas, em situação de risco a integrarem a prática desportiva como forma de driblar os males sociais, aumentar o rendimento escolar e promover a igualdade e equidade de género.
Além de motivar a prática desportiva o Projeto de Maia Andrade ainda pretende promover a educação olímpica através da plataforma “Desporto para a vida”.
Como parceiros desta iniciativa, aprovada pelo Comité Olímpico Internacional, a atleta conta com o Clube Olímpico de São Vicente, Centro Nhô Djunga e União Desportiva Solidariedade e Inclusão Social.
Neste sentido Maria Andrade ainda terá na agenda neste mês de outubro, a participação no “Fórum Olimpismo em Ação”, na formação em “Seja especialista em aprender e partilhar”, nos Jogos Olímpicos da Juventude, como motivadora e embaixadora olímpica de Cabo Verde, em Buenos Aires.
coc