antigo velocista internacional cabo-verdiano, Alfaya Ferreira, com residência fixa em Barcelona (Espanha), onde trabalha como “Personal Trainer” encontra-se de férias em Cabo Verde e tem aproveitado a ocasião para partilhar a sua experiência com os atletas cabo-verdianos.


Alfaya, que se define como um dos primeiros atletas olímpicos destas ilhas, porquanto representou Cabo Verde nos Jogos Olímpicos de Atlanta’96, assegurou à Inforpress ter um projecto para implantar no território nacional, visando capacitar os atletas, de diferentes modalidades, para competições internacionais.
Atleta dos 100 metros de referência crioula nessa altura, Alfayaya beneficiara de uma bolsa de Solidariedade Olímpica, no Centro de Alto Rendimento de Barcelona (Espanha), onde se preparou durante dois anos para esta montra internacional.
Passados 16 anos, este antigo atleta internacional lamenta o facto de ter-se deslocado a Atlanta com expectativa, mas que nunca chegou a competir por “causa de alguns problemas”, e acrescentou que, “de fora” segue a prestação dos atletas nacionais que se preparam para os Jogos Olímpicos Rio’2016.
Enaltece o facto dos atletas, que residem na diáspora, beneficiarem de melhores condições de trabalho para aperfeiçoarem as suas técnicas mediante as estratégias adoptadas por técnicos “experientes e de craveiras internacionais”, mas mostra-se crítico pelo facto dos atletas residentes não terem as mesmas condições de trabalho.
Disse que em Barcelona, onde também praticou o futebol durante três temporadas, aprendeu muito, pelo que tem estado nos últimos dias a trabalhar com os atletas paralímpicos internacionais cabo-verdianos, no sentido de transmitir-lhes as técnicas de competições.
Orgulha-se pelo facto de Cabo Verde contar agora com duas pistas de atletismo, no Estádio Nacional em São Filipe (Cidade da Praia) e no Estádio Marcelo Leitão, na ilha do Sal, e aconselha os atletas a dedicarem-se muito à modalidade para que Cabo Verde possa, no futuro, ter uma boa representação olímpica.
Fonte: Inforpress