Além de Carlos Sá, a Corrida de São Silvestre da cidade da Praia será apadrinhada por Jorge Pina, atleta paralímpico luso cabo-verdiano, que representou a seleção de Portugal, país onde reside, nos Jogos Paralímpicos Rio2016.


O ultramaratonista Carlos Sá já está em Cabo Verde, onde será um dos padrinhos da corrida de São Silvestre, que se realiza a 31 de dezembro, na cidade da Praia.
Em declarações à agência Lusa, Carlos Sá disse que nos últimos dois anos uma delegação de Cabo Verde apadrinhou o Grande Trail da Serra d’Arga, uma corrida que organiza em Portugal, pelo que agora chegou a vez de retribuir e dar o seu contributo para o desporto em Cabo Verde, no geral, e para o atletismo, em particular.
Carlos Sá, de 43 anos, é um dos maiores ultramaratonistas portugueses e também um dos principais organizadores de corridas em Portugal, tendo há dois meses organizado o Campeonato do Mundo de Trail.
Em relação a Cabo Verde, o desportista considerou que "tem condições naturais fantásticas", quer para o desporto de natureza quer para o atletismo tradicional.
"Há que ajudar e trabalhar este enorme potencial que hoje em dia começa também a ser um fator económico de desenvolvimento do turismo ativo", salientou.
Quanto à sua presença, Carlos Sá, que não irá competir, disse que é uma homenagem ao trabalho que se tem feito neste desporto em Cabo Verde, esperando que seja a primeira de muitas visitas ao país, que perspectiva que esteja no panorama internacional em alguns anos.
Carlos Sá chega a Cabo Verde com mais de 15 dias de antecedência da prova, indicando que vai, por isso, aproveitar o fim de época em Portugal para descansar, conhecer algumas ilhas e a realidade desportiva no arquipélago.
Além de Carlos Sá, a Corrida de São Silvestre da cidade da Praia será apadrinhada por Jorge Pina, atleta paralímpico luso cabo-verdiano, que representou a selecção de Portugal, país onde reside, nos Jogos Paralímpicos Rio2016.
Segundo Orlandinho Mascarenhas, do Comité Paralímpico de Cabo Verde e impulsionador da prova, a corrida principal pelas ruas da capital cabo-verdiana terá 16 quilómetros e contará com a concorrência dos principais atletas cabo-verdianos da actualidade.
Serão também organizadas provas paralímpicas em cadeira de rodas e invisuais, juniores, 100 metros e muitas outras atividades em simultâneo, envolvendo também crianças.
O responsável disse à Lusa que espera-se a participação de 500 atletas, mais 100 do que o ano passado, numa prova organizada pelos Comités Olímpicos e Paralímpicos cabo-verdianos, Câmara Municipal da Praia e Direcção-Geral dos Desportos de Cabo Verde.
Fonte: LUSA