Gracelino Barbosa, atleta paralímpico tri-campeão do mundo do INAS disse hoje, na Cidade da Praia, acreditar que o passaporte diplomático que lhe foi atribuído pelo Governo, permite-lhe agora maior “credibilidade” na sua representação por Cabo Verde.


Em declarações aos jornalistas, depois de ter sido galardoado hoje pelo Governo com o Segundo Grau da Medalha de Mérito Desportivo, o atleta afirmou que quando se exibe um passaporte ordinário às autoridades estrangeiras, “sempre há uma certa desconfiança”.
“Já tive muitas dificuldades com o meu passaporte ordinário, porque as pessoas sempre me perguntam nas fronteiras o que eu ia fazer, por isso, penso que com o passaporte diplomático é uma forma de demonstrar mais credibilidade nessas situações e pela causa desportiva”, explicou o atleta cabo-verdiano na modalidade paralímpica.
Em relação à condecoração considerou que representa tudo aquilo que tem feito para Cabo Verde e apelou a uma maior união à volta do desporto, porque segundo ele, acaba por unir também todo o país.
“Desporto é educação, é cultura, é turismo e une pessoas”, frisou Gracelino Barbosa, apelando a uma maior aposta no desporto, sublinhando ainda que “a luta desportiva é de todos”.
Por outro lado, o atleta prometeu continuar a dar o seu melhor em todas as competições, lembrando que “ganhando ou perdendo vai manter sempre a mesma alegria e fair-play”.
Gracelino Barbosa conquistou esta semana a Medalha de Ouro nas disciplinas dos 100 metros livres, 110 metros barreiras e 400 metros disciplinas barreiras no Campeonato do Mundo de Paralímpicos realizado em Bangkok, (Tailândia), tendo ainda sido destacado com a menção de    melhor Atleta Masculino na mesma prova.
Fonte: Inforpress