A 10ª edição da Corrida da Liberdade, que acontece por ocasião do Dia da Liberdade e Democracia, 13 de Janeiro, este ano vai homenagear os 160 anos da elevação da Praia à categoria de cidade.


Esta informação foi avançada hoje a imprensa pelo vereador do Desporto da Câmara Municipal da Praia, José Eduardo dos Santos, que perspectiva uma participação de 10 mil pessoas e um orçamento a volta dos 18 mil contos para o evento
Nas edições anteriores, a corrida da liberdade contava sempre com três a cinco mil participantes, mas este ano, segundo o vereador, devido a “muita demanda” nas edições anteriores, nessa edição especial de 10 anos está-se a preparar para acolher 10 mil participantes.
Uma das inovações dessa 10ª edição  é a introdução da corrida jovem de quatro quilómetros, dedicada aos estudantes do Ensino Secundário, e que será disputada por equipas, para além da classificação individual.
A prova rainha será a meia maratona de 21 quilómetros, que se inicia na Praça Alexandre Albuquerque, no Platô, e percorre algumas zonas da Cidade da Praia como Paiol, Castelão, Achada Limpo, rotunda de São Francisco, Aeroporto,  Lém Ferreira, Prainha e Palmarejo, com meta em frente ao largo do Estádio da Várzea.
Esta prova, apesar de ser aberta ao público, por ser “bastante exigente”, é dedicada mais aos atletas com alguma preparação, informou.
A prova de 14 quilómetros, aberta a toda à população, este ano passa para 10 quilómetros e ainda vai acontecer uma caminhada, considerada a prova massiva.
José Eduardo dos Santos informou que as inscrições online já estão abertas, mas que a partir do dia 02 de Janeiro passam a ser feitas na câmara e na Federação Cabo-verdiana de Atletismos (FCA), sito no Gimno Desportivo de Chã D´Areia, até o dia 08 de Janeiro.
O vereador do Desporto,  garantiu que foram convidados todos os melhores atletas de Cabo Verde, mas que também é esperada a participação de atletas internacionais, como o atleta olímpico cabo-verdiano que vive Estados Unidos da América,  Rúben Sança,  e a atleta Sandra Teixeira, que vive em Portugal.
Em relação aos prémios, indicou que todos os que participarem vão receber brindes e os primeiros classificados de cada categoria serão distinguidos com taças, para além de medalhas para o 1º, 2º e 3º classificado.
Em relação ao prémio monetário, informou que o orçamento ronda um milhão de escudos, com o primeiro classificado a receber 160 contos na meia maratona, o segundo 100 contos e o terceiro classificado 50 contos, mas os premiados estendem-se até ao 12º classificado.
Na prova dos 10 quilómetros, o vencedor leva 25 mil escudos e os cadeirantes levam 10 mil.
Para promover a inclusão, informou que a imagem da corrida, que antes era representado por um homem, passa a ter uma mulher e um homem nas t-shirts, que também foram adaptadas com tecidos próprios para a corrida.
Glenda Araújo da equipa técnica da FCA, informou que este ano para além do dorsal (número) todos os atletas vão receber um chip electrónico que deverá ser utilizado durante toda a prova para que haja mais controle.
Inforpress