O atleta boa-vistense Eskilson Nascimento, penta campeão nos 200 metros do tetracampeão de 100 metros no atletismo, disse que o seu maior orgulho como atleta vem dos elogios das crianças, que manifestam também interesse em treinar em pista.



Eskilson Nacimento, nomeado melhor atleta para a Gala de Desporto 2019, falou à Inforpress do seu percurso desportivo, que começou como ala e ponta de lança na Académica de Boa Vista.

Mas foi no atletismo que o atleta “conquistou pistas”. Natural da Boa Vista, Eskilson, que completa hoje 26 anos, começou no atletismo pela influência do primo Carlos Nascimento, também atleta de pista.

“O meu primo Carlos viu a minha velocidade num jogo no campo de futebol, quando ainda jogava na Académica da Boa Vista. Incentivou-me a “experimentar” a modalidade. Disse-me que poderia vir a ser um dos melhores atletas”, conta Eskilson, recordando que este desafio foi aceite aos 19 anos, quando começou os treinos para provas de velocidade.

Lembrou que em 2015, na primeira prova em que participou ficou no último. Mas isto lhe serviu de “motor”, para no ano seguinte, subir ao pódio de campeão de Cabo Verde de pista em 200 metros.

“No primeiro ano não tinha muito treino. No segundo, vim dedicar-me mais, e, na altura, com melhor preparo, mais habilitado para a pista, consegui chegar primeiro à meta no campeonato a nível regional”, disse o atleta que ainda frisou a dificuldade em conseguir passar o seu mentor Carlos Nascimento.

A partir dali, conforme elucidou, “foi só somar pontos em pista”. E neste percurso, consta na sua lista desde 2016 a este ano, cinco troféus de Campeão Nacional de 2000 metros e quatro nos 100 metros.

“Eski”, como é conhecido entre os amigos, tem duas participações a nível internacional. Em 2017, rumou a Guiné Conacri à procura dos mínimos para a Francofonia. Apesar do nervosismo de primeira internacionalização, conseguiu os números pretendidos. E em 2018, foi representar Cabo Verde neste campeonato na Costa de Marfim, onde bateu o recorde do país nos 200 metros.

Mas lamentou “falhar” este ano as duas últimas competições internacionais de Cabo Verde, os Jogos Africanos, em Marrocos, e o Campeonato do Mundo do Atletismo, em Qatar. “O meu cérebro já estava focado nestas corridas e com objectivo de bater, ao menos, o meu próprio recorde”, disse o entrevistado que orgulha-se de ser campeão de Cabo Verde, em atletismo.

Para ele, esta honra vai além da pista. Ajuntou que, o maior incentivo vem das pessoas que o abordam na rua, em especial as crianças.

“A minha maior alegria é quando as pessoas me abordam na rua e me parabenizam pelos feitos conseguidos. Sobretudo as crianças que me questionam sobre o meu percurso, manifestando interesse em treinar também esta modalidade. Isto tem um sabor inexplicável, é bom”, afirmou.

E é neste futuro que Eskilson avançou que gostaria de trabalhar, e um dia poder vir a abrir uma escola de atletismo para crianças. “Gostava de um dia poder abrir uma escola de atletismo para cultivar nos mais pequenos o gosto para o desporto. Mostrar-lhes a experiência que tenho em pista”, explicou Eskilson, sublinhando que enquanto não realizar este sonho, vai continuar a treinar com garra, para, em primeiro lugar, representar Boa Vista a nível nacional, e o país lá fora.

E não esconde o seu orgulho pela terceira vez (2016, 2017 e 2019) estar nomeado melhor atleta na Gala de Desporto. “Acho que é o sonho de todos os atletas estar nomeado nesta gala. Para mim, estar nesta cerimonia já é um reconhecimento”, declarou emocionado, acreditando ser este uma forma de sentir-se compensado pelos esforços em treinos, gastos em equipamentos, e boa alimentação.

Eskilson Nascimento disse sentir-se grato pelo apoio incondicional da família que lhe transmitiu valores, que carrega junto com a bandeira de Cabo Verde. Acrescentou ainda que os “aplausos” vêm também dos colegas da Associação Regional de Atletismo de Boa Vista, companheiros de pista que “quer ver fortes para aumentar o brio nas competições”.

“Este ano tenho o objectivo que é bater o meu recorde e descer todos os meus tempos. Tenho consciência da dificuldade em atingir esta meta, sendo que quero atingir os 20 segundos em 200 metros”, finalizou Eskilson Nascimento, que espera continuar a ter apoios para alcançar seus objectivos.
Inforpress