A Câmara Municipal da Praia anunciou hoje que a 12ª edição da Corrida de Liberdade contempla prémios de até 150 mil escudos para os vencedores nas provas de competição, nomeadamente a meia maratona e os dez quilómetros.


A informação foi avançada à imprensa pelo vereador do Desporto da autarquia, José Eduardo dos Santos, durante a apresentação do evento, que marca o Dia da Liberdade e da Democracia, 13 de Janeiro.
Segundo disse, o valor total em prémio é de um milhão de escudos, sendo que os atletas que participam nas competições receberão os valores monetários entre 150 mil escudos e os cinco mil escudos.
“Este evento tem várias provas, a meia maratona, mas também a prova de 10 quilómetros para todos que gostam e querem participar numa prova de atletismo, temos a prova escolar que é um desafio as escolas para uma competição colectiva e provas paraolímpicos”, explicou.
Segundo o vereador da área do Desporto, a Corrida da Liberdade terá duas partidas, a primeira para as pessoas de terceira idade e a segunda com a festa que simboliza a prova.
Conforme José Eduardo dos Santos, a autarquia quer “apostar cada vez mais” na internacionalização desta prova, referindo que este ano virão “por meios próprios”, atletas do Senegal e de Portugal, mas também da diáspora, nomeadamente França, Portugal, Estados Unidos da América, entre outros.
“Já temos a confirmação de Dacar, que virá para meia maratona, masculino e feminino, Castelo de Vide, de Portugal”, apontou.
Por outro lado, destacou que os melhores atletas nos vários pontos do país já foram contactados a participarem, por isso, apelou, todos que queiram participar nas competições façam as inscrições atempadamente, uma vez são limitadas.
O padrinho do evento da prova em 2020 será o antigo jogador de futebol e capitão do Sport Lisboa e Benfica, Luisão, que estará no país a partir do dia 12, num programa vasto de incentivo ao desporto.
“Esse incentivo não é somente para a participação da Corrida da Liberdade, como também fará algumas visitas a escolas de futebol e alguns pontos de interesse turístico e cultural”, disse.
Sublinhou ainda que as competições terão cronometragem digital internacional, com chips para todos os participantes.
Além disso, ressaltou, por ser já a terceira edição da meia maratona e também com a cronometragem internacional, a Corrida da Liberdade, a partir do próximo ano, poderá estar inscrito na representação do oficial das meias maratonas e maratonas da Organização Mundial de Maratonas.
“Desta forma poderemos atrair o maior número de participantes internacionais que percorrem o mundo a fazer estas competições, com percursos que são oficialmente registados”, indicou.
Por fim, instado se as obras no largo do Estádio da Várzea não irão condicionar as actividades que tradicionalmente são realizadas no local, o responsável disse que o espaço estará em condições para acolher essas actividades.
A autarquia coloca a meta de 10 mil participantes, sendo 120 jovens das escolas, 200 da meia maratona, 400 para os 10 quilómetros e os restantes para a caminhada.
O orçamento da 12ª Corrida da Liberdade é de 12 mil contos, a serem suportados pelos parceiros da prova, destacando a Cabo Verde Telecom que assinou o protocolo de patrocinador oficial com a Câmara Municipal da Praia.
Inforpress