A Associação Desportiva do Bairro Craveiro Lopes (ADESBA) disse não ter sido notificada, pela FIBA, da multa de 30 mil dólares aplicada à sua equipa de basquetebol, conforme revelada pela Federação Cabo-verdiana da modalidade.


À Inforpress, o presidente da ADESBA, Carlos Sena Teixeira, disse que os campeões de Cabo Verde de basquetebol souberam desta notícia pela comunicação social e que estranha o “comportamento miserável” do vice-presidente da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol”, Eugénio Martins, alegando que se tratou de uma forma de afastar atenção da selecção para criar nova notícia.
“Se havia alguma mossa era o presidente da Federação a anunciar e, primeiramente, ao Bairro que tem o direito que lhe assiste de recorrer da multa, havendo, porque não pode ser aplicada nenhuma multa sem defesa”, clarifica Sena Teixeira, sublinhando que Bairro nunca foi notificado por nenhuma organização.
O presidente da ADESBA afirma que o Bairro comunicou a Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) em como não ia poder participar nessa última edição da Liga dos Clubes Campeões Africanos, através da federação, e que apresentou razões todas e que a FIBA, inclusive, convidou o clube a participar para posteriormente custear os encargos desta competição realizada no Cairo, Egipto.
De resto, disse estranhar as razões porque este assunto ter vindo à baila, quando de momento as atenções estão viradas para a forma como a Federação deixa Cabo Verde fora do Afrobasket’2017.
A Federação Cabo-verdiana de Basquetebol revelou sexta-feira ter sido comunicada pela FIBA sobre uma multa de 30 mil dólares (cerca de três mil contos) aplicada a equipa de basquetebol do Bairro por ter inscrito na 31ª edição da Liga dos Clubes Campeões Africanos e não ter participado.
Fonte: Inforpress