A Direcção-Geral dos Desportos (DGD) quer viabilizar a participação da selecção de Cabo Verde de basquetebol sénior masculina no Afrobasket’2017, cuja competição arranca na fase de apuramento, em Março.


O director-geral dos Desportos, Anildo Santos, manifestou esta posição aos dirigentes da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol (FCBB), que colocaram o cargo à disposição, num encontro de trabalho realizado sábado, na Cidade da Praia.
Na ocasião, realçou a “grande abertura do Governo e da instituição que dirige, no sentido de colaborar com todas as federações a bem do desporto nacional”.
Anildo Santos expressou a flexibilidade em trabalhar junto com os responsáveis para uma solução que possa ainda viabilizar a participação de Cabo Verde nas eliminatórias para o Afrobasket, que se iniciam já em Março, ante as equipas nacionais do Mali, Senegal e Guiné-Conacri.
Segundo informações avançadas pela DGD, Anildo Santos deixa em aberto a possibilidade de trabalhar com uma comissão, desde que devidamente e legalmente mandatada pelas associações, à luz dos estatutos da FCBB, para que Cabo Verde possa estar representado na maior montra do basquetebol africano.
Quanto a situação financeira por que passa a federação nacional da modalidade, Anildo Santos afirma que o Ministério das Finanças estará a promover auditorias às federações de todas as modalidades e espera que a auditoria possa ser mais um contributo para a clarificação, no caso específico, da situação financeira da FCBB.
Os dirigentes da FCBB, entretanto, “reafirmaram a sua posição “coerente” com o seu plano estratégico e com o seu projecto de reorganizar e reestruturar o basquetebol nacional.
O propósito é de não só resolver a “má situação financeira herdada da anterior gestão”, mas também, desenvolver e massificar o basquetebol e garantir melhor qualidade e a sua continuidade, em todas as categorias e níveis”.
Porém, as dificuldades financeiras terão jogado um papel preponderante, explica o vice-presidente da federação, Eugénio Martins, que traça um quadro negro da situação, alegando que só as dívidas internas da FCBB da gestão anterior deverão ascender os 10 mil contos.
Refira-se que os basquetebolistas internacionais cabo-verdianos Rodrigo Mascarenhas (São Vicente), Marito Correia (Santiago) e Gi Cabral (Sal) lideram o projecto “Comissão de Emergência”, constituído para colmatar o vazio deixado com a demissão dos dirigentes da FCBB e inscrever Cabo Verde no Afrobasket’2017.
Fonte: Inforpress