A Federação Cabo-verdiana de Basquetebol encerrou esta tarde o curso de treinadores nacionais de nível II e de árbitros, que vinha decorrendo durante uma semana, com o sentimento de um futuro promissor para a modalidade.


O presidente federativo, Mário Correia, destacou a importância de uma formação deste nível, realizada no quadro de uma cooperação com a Federação Portuguesa de basquetebol e com a Escola Nacional de Basquetebol de Portugal, convicto de que esta aposta terá grandes reflexos na qualidade da prática da modalidade.
O seleccionador de Cabo Verde de Basquetebol, Emanuel “Mané” Trovoada, que desempenhou o papel do director-técnicio desta formação, enalteceu a luta e entrega do presidente da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol, Mário Correia, na melhoria do mini-basket, no lançamento do basquetebol feminino e na melhoria da qualidade dos treinadores.
Anunciou que os recém-formados com o nível II serão doravante submetidos a um estágio de capacitação, ao qual se segue a entrega dos diplomas de formação, pelo que alertou a todos a trabalharem bem com a união que o basquetebol precisa para a sua melhoria.
Enalteceu, igualmente, a disponibilidade dos técnicos portugueses nesta missão, convicto de que tudo será feito para a melhoria da qualidade do basquetebol cabo-verdianos, na base de uma profunda união
Os técnicos portugueses da Escola Nacional de Basquetebol, Ricardo Vasconcelos, Valdemar Cabral, Jorge Fernandes e António Ferreira foram os monitores deste curso promovido pela FCBB, no quadro da sua “missão de dinamizar e promover a modalidade”, evento que conta com a presença de treinadores nacionais de diferentes clubes.
Jorge Fernandes fez questão de destacar o empenho e dedicação dos participantes e revelou que seis destes formandos serão capacitados com o grau de formadores e habilitados para ministrarem formações a novos pretendentes.
O curso teve a componente teórica e prática, baseada na táctica individual e colectiva, nas vertentes defensivas e ofensivas, defesa e ataque sobre várias fases dos jogos, observação de equipas com vídeo, detecção de talentos e metodologia do treino de basquetebol, bem como comportamento de ética de entre outros.
Inforpress