A NBA está lançando uma liga profissional de basquete na África, que contará com 12 equipes de vários países do continente.


A liga referida como a Liga Africana de Basquetebol vai estrear-se no próximo ano.

Incluirá equipas de vários países africanos, incluindo Angola, Egipto, Quénia, Marrocos, Nigéria, Ruanda, Senegal, África do Sul e Tunísia.

A NBA anunciou o plano junto com a Federação Internacional de Basquete e realizará torneios de qualificação no final deste ano.

Embora existam várias equipes de basquete em toda a África, uma liga profissional irá unificá-los e fornecer recursos e visibilidade.

"A Liga Africana de Basquetebol é um próximo passo importante no nosso contínuo desenvolvimento do jogo de basquete na África", disse o comissário da NBA, Adam Silver, em um comunicado divulgado no sábado. "Combinados com nossos outros programas no continente, estamos comprometidos em usar o basquete como um mecanismo econômico para criar novas oportunidades no desporto, mídia e tecnologia em toda a África."

O ex-presidente dos Estados Unidos da America, Barack Obama, aplaudiu o anúncio no twiter.

"Eu sempre amei basquete porque é sobre a construção de uma equipe que é igual a mais do que a soma de suas partes", twittou. "Fico feliz em ver essa expansão na África porque, para um continente em ascensão, isso pode ser muito mais do que o que acontece na quadra."

Os laços da NBA com a África percorrem um longo caminho. O jogador do Toronto Raptors, OG Anunoby, cujos pais são da Nigéria, e o pivô do Hornets Bismack Biyombo, da República Democrática do Congo, estavam entre os jogadores que compareceram ao almoço da NBA All-Star Africa no sábado, onde foi feito o anúncio.

Outros jogadores com ligações à África incluem Joel Hans Embiid, um camaronês que joga no Philadelphia 76ers.

O embaixador mundial da NBA, Dikembe Mutombo, que jogou por várias equipes, incluindo o Atlanta Hawks, é da República Democrática do Congo.

O presidente do Toronto Raptors, Masai Ujiri, é da Nigéria.

ADP