A novidade foi dada em primeira-mão pelo presidente da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol (FCBB), Mário Correia, ao Diretor-geral do Desporto, Anildo Santos, em sede de reunião de arbitragem esta quarta-feira. A FIBA e a FIBA-África já convidaram a FCBB que vai agora sondar o Governo e outros parceiros para averiguar da sua viabilidade.


De acordo com Mário Correia, são duas oportunidades que surgiram com a realização do torneio de Basket 3X3 inserido nos Jogos de Praia-Sal 2019 e que a FCBB não quer desperdiçar sendo que, entretanto, dependerão do envolvimento do Governo, já que a FCBB sozinha não tem os meios financeiros para a sua materialização.
Anildo Santos ouviu com atenção e manifestou o seu entusiasmo com essas duas possibilidades, comprometendo-se, entretanto, a ver com o MD e o Executivo da sua execução.
Mário Correia explica que são duas competições de relevo e que veem na linha do projeto autual de lançamento dessa modalidade no país, tendo o próprio DG assinalado a participação inédita das seleções seniores feminina e masculina numa fase final da AFROCUP que aconteceu em novembro passado, em Lomé, Togo.
Aliás, Cabo Verde parece mesmo estar a entrar na moda das competições e eventos desportivos internacionais.
Ainda no Basquetebol, a cidade da Praia deverá receber entre 17 e 18 de maio agora a fase de qualificação da Zona II de Basquetebol sénior feminino para o Afrobasket, e que deverá opor as nossas meninas à congénere da Guiné-Conakry em duas partidas no Gimno Desportivo Vavá Duarte.
Todavia, Mário Correia afirma que até à hora da reunião com a DGD ainda não havia confirmação da vinda do adversário de Cabo Verde que, em caso de falta de comparência, apuraria imediatamente a nossa seleção à fase final da maior competição feminina africana a nível das nações.
Confirmada está, desde setembro do ano passado, a organização do Afrobasket sub-16 masculino, que deverá acontecer na cidade da Praia.
Não obstante, o plano de atividade para a nova época mantém forte aposta na formação de treinadores e de base, com iniciativas como a Liga Edy Tavares de Minibasquetebol, os campeonatos Interliceus, formação de treinadores e formadores em parceria com a Escola Nacional de Basquetebol de Portugal, entre outras iniciativas que mereceram o elogio do DG quanto à aposta na formação.
DGD