O treinador da equipa de basquetebol do Prédio, campeã nacional em sénior masculino, traçou como novo desafio a participação nas provas internacionais este ano, no quadro de um projecto de cinco anos, que passa pela manutenção do plantel.


Adilson Fragoso, também conhecido como Didi, disse que a equipa foi montada para conquistar o campeonato de Cabo Verde e que, cumprido este “objectivo primordial” a “melhor equipa de Cabo Verde indiscutivelmente” vai trabalhar para inscrever-se nas provas africanas, pelo que quer manter a estrutura e reforçá-la para “grandes voos”.
Disse que o Prédio vai encorajar o basquetebolista Lamine a jogar mais uma época, antes de se aposentar, ressalvando que atletas como Fidel Mendonça, Apite, Anderson, Patrick e outros são para manter na Associação Desportiva Prédio
Em relação à vitória na final diante do Farense, de São Vicente, Fragoso explicou que o triunfo foi “relativamente fácil”, afirmado que o Prédio provou ser melhor e que “há uma grande disparidade entre o basquetebol que se pratica em Santiago Sul em relação ao de São Vicente”, e que 21 anos depois do anterior campeonato nacional conquistado, o Prédio está no inicio de numa “nova caminhada”.
Fidel Mendonça conquistou o troféu do melhor marcador em sénior masculino, ao passo que Anderson o melhor jogador da competição, todos do Prédio
No escalão sub-18, o ABC, também da Cidade da Praia, conquistou o título nacional fruto da vitória frente ao All Black (São Vicente) por 56-31, com Ernesto Forte a ser considerado melhor Jogador e Hugo Pereira  o melhor marcador, com 88 pontos.
Inforpress