O basquetebolista internacional cabo-verdiano do Real Madrid, Edy Walter Tavares, desfalca a selecção cabo-verdiana que se prepara para os preliminares com a Argélia, de acesso a fase do grupo do Afrobasket’2021.


A equipa técnica composta por Emanuel “Mané” Trovoada (principal) e Danielson Miranda lamentam que a FIBA-África tivesse adiado o jogo para uma data, 15 e 16 do corrente, que não permite ao gigante basquetebolista, 2.21 metros, e uma das referências do desporto cabo-verdiano reforçar o colectivo cabo-verdiano, por compromisso com o clube madrileno.

Isto porque nesta data, Edy Tavares vai estar a competir na Euroliga, uma das maiores provas do clube do mundo, pelas insígnias do Real Madrid, uma vez que o facto de os preliminares não serem disputados numa data FIBA, não obriga os clubes a libertar os jogadores.

A equipa técnica da selecção cabo-verdiana de basquetebol não se conforma com esta alteração do calendário da FIBA-África, mas disse estar convicto que Cabo Verde tudo irá trabalhar para eliminar a Argélia nos preliminares agendados para 15 e 16 do corrente, para que possa contar com Tavares nos jogos da fase de grupos.

Edy Walter Tavares, que voltou a Espanha para representar o Real Madrid, com quem ganhou a Euroliga e a Liga Endesa, depois de deixar a NBA, tem manifestado sistematicamente a sua intenção de representar as cores de Cabo Verde, desde que dispensado pelo clube, do qual tem estado a destacar-se como o melhor defensor da Europa, integrando inclusive “o cinco ideal” da Espanha e da Europa.

Cabo Verde e Argélia defrontam-se nos dias 15 e 16 do corrente em Argélia, nos preliminares de acesso a fase de grupos, já constituído pelas selecções nacionais da Nigéria, do Ruanda e do Mali.

A selecção cabo-verdiana continua a preparar-se na Cidade da Praia com a sua “prata da casa” com treinos bi-diários, já que os jogadores residentes no estrangeiro só se juntam à comitiva no solo Argelino.
Inforpress