Este foi um dos temas da reunião de arbitragem esta quinta-feira, 30 de janeiro, entre a Federação Cabo-verdiana de Basquetebol (FCBB) e o MD/DGD.

A FIBA África já comunicou e convidou a nossa seleção a estar presente num torneio com os melhores segundos classificados de quatro das cinco zonas envolvidas na fase preliminar para decidir a última vaga à fase final do Afrobasket.

O referido torneio, ainda com local indefinido, deverá acontecer em junho numa data FIBA.

A notícia agrada ao MD, Fernando Elísio Freire que, através do Diretor-geral dos Desportos, Anildo Santos, manifestou todo o apoio para que a FCBB se candidate a receber o supracitado torneio Wild Card.

Uma possibilidade que, certamente, agrada à FCBB que, através do seu presidente, Mário “Marito” Correia, comprometeu-se a apresentar um projeto neste sentido para averiguação das condições para a sua materialização junto ao MD/DGD.

Seja, como for, a possível candidatura teria que ser submetida à FIBA-África para uma decisão.

Ainda nesta reunião, foi analisada a contraproposta do Executivo para o contrato-programa e, ao que tudo indica, as duas partes estarão próximas de um entendimento para assinar já na próxima semana.

Para além deste compromisso, a FCBB terá ainda os desafios internacionais da participação no Afrobasket masculino Sub-18, assim como das seleções masculina e feminina nos campeonatos africanos de 3X3 em novembro, no Uganda. Prova essa que será qualificatória para o Mundial da modalidade.

Já este final de semana, o diretor técnico e selecionador nacional, Emanuel Trovoada, tem viajem marcada para a ilha do Sal para uma formação de treinadores de 3x3, para além de trabalho com os sub 18 fem e masculino, inseridos nos projetos internacionais acima referidos.

A nível regional, mantém-se a aposta nos torneios, campeonatos regionais e nacionais e formações a nível da formação, entre os quais uma formação de treinadores nível 1 (ver texto: Basket: Federação mantém forte aposta na formação).
DGD