Hélder Mascarenhas, pugilista da região Santiago Norte e que  participou no nacional na categoria 81kg, foi voz activa contra a  organização da Federação cabo-verdiana de Boxe, no final do campeonato  nacional.

No meio a confusão da invasão do recinto, Rony como é  conhecido, apontava as reclamações para outros temas, que segundo o  atleta não estão certos na federação dirigida por Flávio Furtado.

Para Rony, o presidente, está a contribuir para o fim do boxe em Cabo  Verde e que o mesmo intimidou pugilistas no hotel onde estavam  hospedados, que fala mal aos atletas e não permite diálogo. O  pugilista vai mais longe e diz ser testemunha de que o Sr. Flávio  Furtado, insinuou que a própria a mãe de Rony trouxesse segurança,  quando ele indagou adeptos quanto a ausência de segurança durante os  três dias.

Acusa também, o presidente de proteger o atleta Sifonelo Borges –  Keni, que segundo Rony jogou no regional Santiago Sul na categoria de  91 kg por estar sem treinar e acima do peso habitual, tendo perdido o  combate e agora não podia competir no nacional. Reclamações extensivas  a outros clubes e colegas de escola de Keni, confirmou Flávio Furtado.

Mas o presidente explica que Keni foi repescado para o nacional pela  qualidade que tem como pugilista e adeptos que atrai e que jogou no regional em categoria mais alta porque não tinha adversário directo.

Victor Hugo Fortes