A ginasta da seleção de Cabo Verde, Elyane Boal, que será representante do país no individual nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, escolheu o clube Sadia, em Toledo, para a preparação final para a competição.

A ginasta iniciou os treinamentos no município na semana  passada e permanece até a véspera da competição.

Elyane Boal chegou ao Toledo acompanhada da técnica Elema Atmacheva, e vai receber as orientações da técnica da Sadia, coordenadora técnica do projeto de GR em Toledo, Anita Klemann.

“Queremos permitir que a nossa ginasta faça uma boa apresentação nas Olimpíadas. A vinda a Toledo tem justamente este propósito de melhorar as séries para que ela tenha um resultado melhor na Jogos Olímpicos”, comentou a técnica de Cabo Verde, elogiando o trabalho da técnica Anita klemann e a estrutura que o clube oferece, tanto de profissionais como estrutura física. “A gente conhece a Anita há longo tempo. Ela é uma excelente técnica e tem muito a nos oferecer”, acrescentou.

Em Toledo, ressaltou ela, “as ginastas têm uma estrutura maravilhosa, com orientações técnicas, balé, fisioterapia, acompanhamento nutricional e um grupo de amizades muito bom, que também auxilia neste processo”.

Todas as séries da atleta de Cabo Verde já estão montadas e a partir deste trabalho deverão ser feitas as adaptações necessárias para torná-las mais perfeitas. “O tempo é curto, mas suficiente para deixar as séries melhores para os Jogos Olímpicos”, reforçou a técnica de Cabo Verde.

Anita Klemann destacou que a vinda de ginastas de outros países ao clube é extremamente positivo e mostra o reconhecimento destes ao trabalho que está sendo feito em Toledo. Além da ginasta de Cabo Verde, treinam em Toledo ginastas da Bolívia, e da Indonésia, que encerrou nesta semana um intercâmbio de 4 meses.

Na semana passada as ginastas estrangeiras fizeram uma apresentação especial, que serviu para registrar a convocação da ginasta Morgana Gmach, da Sadia, para os Jogos Olímpicos.

Mães das ginastas, que acompanharam a apresentação, aproveitaram para elogiar a estrutura e o atendimento dispensado às atletas durante o período de treinamentos.

As mães foram unânimes em destacar o trabalho de qualidade feito em Toledo, tanto corporal como técnico, as aulas de balé, a preparação e orientação às ginastas, e a atenção dispensada. ”É uma estrutura que não temos na Bolívia.

A Sadia é referência internacional em GR, com ginastas reconhecidas, como a Angélica (Kvieczynski) a Morgana (Gmach), entre outras atletas.

Viemos aqui em busca de complementação ao trabalho que é feito na Bolívia”, destacou Selva Letelier, ao lado das demais mães Cláudia Rocca e Verônica Ruilowa, que acompanham as filhas nos treinamentos, e da técnica de Cabo Verde.

Com a estrutura e o atendimento que as ginastas recebem, elas afirmam que novos intercâmbios deverão ser feitos, visando o aperfeiçoamento das atletas.

O projeto de Ginástica Rítmica de Toledo, com 26 anos de atuação no município, é patrocinado pela Sadia, conta com as parceiras do Sesi, prefeitura de Toledo,  apoio da Unimed e  com o co–patrocínio de O Boticário, Sanepar e Prati-Donaduzzi, através de recursos  obtidos pela da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte/Governo Federal.
Fonte: radiogol