O Comité Olímpico Cabo-verdiano vai trabalhar para a promoção do desporto náutico para que o arquipélago venha a ter, a curto prazo, a sua Federação Cabo-verdiana de Natação, mediante proposta da Associação dos Comité Olímpicos Nacionais Africanos (ACNOA).


A garantia foi dada à Inforpress pela presidente do COC, Filomena Fortes, que se mostra rendida aos apelos do presidente da ACNOA, general Lassana Palenfo, que nesta sua visita a Cabo Verde, considera ser imprescindível uma federação da modalidade.
Com esta nova federação, explicou a dirigente do olimpismo cabo-verdiano, “é preciso que haja uma federação em Cabo Verde para que as federações internacionais possam dar todo o apoio e que se possa implementar o mesmo em Cabo Verde”.
Nesta perspectiva, Filomena Fortes disse que Cabo Verde terá de trabalhar “o mais urgente possível” neste projecto.
Cabo Verde conta, actualmente, com duas associações regionais de natação, sendo uma em São Vicente e uma outra recentemente criada na região desportiva de Santiago Sul.
A delegação olímpica, chefiada por Lassana Palenfo, foi recebida na tarde de segunda-feira pelo chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca, que foi informado de que a ilha do Sal reúne condições para acolher os I Jogos Olímpicos Africanos de Praia, em 2019.
Os I Jogos Olímpicos Africanos de Praia estão abertos aos 54 países-membros em representação de 19 modalidades.
Fonte: Inforpress