O primeiro-ministro anunciou hoje que está-se a trabalhar para fazer do desporto “um factor de desenvolvimento e instrumento privilegiado para a projecção da imagem internacional” do país e trazer para Cabo Verde grandes eventos desportivos.


Ulisses Correia e Silva fez esta revelação na abertura do Encontro Nacional dos Vereadores do Pelouro do Desporto, que decorre no Estádio Nacional, em Achada São Filipe, sob o lema “Município, um pilar de desenvolvimento”, no qual se procura “convergência de políticas e de intervenções dos diversos actores que fazem acontecer do desporto no país”.
O Governo, disse, projecta para os próximos tempos um novo ciclo do desporto nacional pelo que está a desenhar novas políticas públicas para o Sistema Desportivo Nacional de forma que sejam consentâneas com as aspirações e ambições de todos quantos se dedicam ao fenómeno desportivo.
O primeiro-ministro recomendou que se estabeleça uma comunhão e entendimento entre todos os agentes desportivos, dirigentes, técnicos, responsáveis associativos e autárquicos, bem como o sistema do ensino, argumentando que os próximos ciclos desportivos sejam sustentados no equilíbrio financeiro dos agentes e entidades privadas e na reforma legislativa e das instituições públicas do desporto.
Ulisses Correia e Silva avançou que o executivo quer construir parcerias entre os poderes públicos e os agentes desportivos, numa lógica de complementaridade e de respeito para a autonomia e a intervenção de cada um, com definição de uma política desportiva com prioridades, objectivos e metas, mediante a dotação de recursos financeiros e da capacitação dos agentes desportivos e instituições.
“Uma nova fase implica reforma no quadro legal para regulamentar a participação nas competições internacionais dos clubes e selecções nacionais para aprovar uma nova lei de bases da actividade física e desporto, o estatuto de utilidade pública desportiva e o estatuto do atleta de alta competição”, especificou.
Para o chefe do executivo, é fundamental a implementação de um sistema desportivo eficiente e competitivo, baseado num programa de médio e longo prazos, para colocar o país na rota internacional de eventos desportivos, razão pela qual, alertou, “a infra-estruturação desportiva é fundamental”.
A este propósito, Ulisses Correia e Silva asseverou que as políticas públicas do desporto estarão também alinhadas com o desenvolvimento do turismo, na promoção internacional do país e a preservação sustentável do ambiente.
Fonte: Inforpress