Após a fase de auscultação e reuniões de arbitragem com as 11 federações desportivas e o Comité Paralímpico Cabo-verdiano) e as respetivas assinaturas dos contratos-programa, a DGD começou já a avançar com as transferências de parte dos valores acertados nas respetivas rubricas de apoio aos orçamentos das federações, referente à época desportiva para 2016/2017.


O objetivo é avançar o quanto antes com a transferência da primeira tranche de 30%, relativos ao valor total dos contratos-programa com as federações, à medida que se fecharem as negociações, devendo os restantes 70% serem depositados nas contas das federações, como é norma nessas transações.
É o caso do Comité Paralímpico Cabo-verdiano (COPAC), que já recebeu recentemente, em sua conta, a transferência de 749.044$00 (30%) do total do contrato-programa acordado cujo valor total é de 2.496.812$00. Os restantes 70% serão transferidos à COPAC ainda no decorrer desta época desportiva 2016/2017, mediante os justificativos de despesas e (quando aplicado) com certificação pelo Ministério do Desporto/Direção Geral dos Desportos. Como é, aliás, a norma no que tange ao desbloqueio dos valores dos contratos-programa.
Entre os projetos do COPAC para esta época desportiva destacam-se a coorganização do 2º Campeonato Africano de Futebol para Cegos que deverá acontecer em 2019 em Cabo Verde, mas, cuja preparação começa já, desde logo com a criação da equipa nacional de futebol de Praia (Paralisia Cerebral-Sa) no decorrer deste ano, assim como a criação da equipa nacional de futebol para cegos.
Destaca-se ainda a transferência, à parte, de um justo prémio atribuído ao atleta paralímpico, Gracelino Barbosa pela grande conquista, a medalha de bronze paralímpica conseguida no Rio 2016. O prémio já foi igualmente transferido para a conta pessoal do atleta, no valor de 1.250.000$00 (um milhão, duzentos e cinquenta mil escudos).
Para além desses, a DGD já procedeu ao adiantamento de 1.500.000$00 (um milhão e quinhentos mil escudos) à Federação Cabo-verdiana de Voleibol (FCV), no âmbito do contrato-programa que será assinado entre as duas partes, para que essa pudesse fazer face às despesas da preparação e participação das seleções A feminina e masculina na primeira fase de apuramento para os Mundiais das respetivas categorias, que decorreu no passado final de semana na cidade da Praia.
O valor total do contrato-programa acordado e assinado entre as partes é de 7.114.128$00 (sete milhão, cento e catorze e 129 mil escudos).
Também a Federação Cabo-verdiana de Boxe (FCB), beneficiou, recentemente de um adiantamento de parte da verba, no valor de 1.400.000$ (um milhão e quatrocentos mil escudos) com vista a preparar a participação de Cabo Verde no Campeonato Africano de Boxe 2017 e que deverá acontecer entre 25 de maio a 4 de junho próximos.
O valor total do contrato-programa para a época 2016/2017, assinado com a FCB é de 4.640.800$00 (4 milhão, seiscentos e quarenta e oitocentos mil escudos).
A DGD tudo está a fazer para que, da sua parte, sejam concluídos os processos de negociação, assinatura e transferência dos contratos-programa para que as federações possam ter os recursos necessários para a efetivação do seu plano de atividade. Neste momento já foram assinados os contratos programa das três federações supracitadas, para além do Xadrez e Ginástica, estando os restantes processos em andamento.
Fonte: DGD