A presidente do Mó na Roda, Miriam Medina, revelou hoje à Inforpress que a associação vai criar, no mês de Julho, uma Federação Nacional de Dança de Cadeiras de Rodas para que Cabo Verde possa participar nos Jogos Olímpicos nesta modalidade.


Segundo Miriam Medina, a intenção prende-se com o facto de Cabo Verde ser o único país africano a participar nos campeonatos internacionais de dança de cadeira de roda, pelo que para chegar aos jogos olímpicos deve aumentar o número de pessoas a estarem aptas nesta modalidade.
“Essa ideia foi-nos avançada pela Federação Internacional, que nos informou que caso conseguirmos uma media de 40 dançarinos, nesta categoria, poderemos participar nos jogos olímpicos”, disse.
Após a criação da Federação Nacional de Dança de Cadeiras de Rodas, Miriam Medina avançou que, pelos mesmo motivos, foi encarregada de criar a Federação Africana de Dança de Cadeiras de Rodas.
A Organização Mundial de Dança de Cadeiras de Roda, sublinha, comprometeu-se, caso cumprir esta missão antes do próximo Jogos Olímpicos, que Cabo Verde poderá participar no evento.
E por se tratar de uma modalidade nova no país, a presidente do Monaroda disse que já falou com a presidente do Comité Olímpico e do Paraolímpico que prometeram apoios para a realização deste “mais um sonho”.
Monaroda é uma associação composta por pessoas com e sem deficiência física, que lutam pelos direitos das pessoas portadoras de deficiência, foi criada em Julho de 2009 e desde então tem contribuído para uma melhor integração dessa classe na Sociedade
Fonte: Inforpress