A sensibilização dos agentes desportivos cabo-verdianos para a necessidade de uma competição limpa, saudável e livre de dopagem é uma das prioridades da Organização Nacional Antidopagem de Cabo Verde (ONAD-CV), hoje empossada na Cidade da Praia.


No seu discurso durante a cerimónia de posse, presidida pelo ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, o presidente da ONAD-CV, Emanuel Passos, disse que a sua equipa vai trabalhar no sentido de proteger os atletas limpos através da promoção de um desporto baseado nos princípios de igualdade e não na utilização de substâncias e métodos dopantes.
Para Emanuel Passos, a protecção dos atletas limpos deverá passar primeiramente pela criação de uma legislação nacional antidopagem, dotando na ordem jurídica interna as regras estabelecidas no Código Mundial Antidopagem.
Sobre a legislação Emanuel Passos disse que a ONAD-CV vai apresentar o projecto do decreto-lei na próxima reunião do Conselho Nacional do Desporto.
O presidente da ONAD-CV prometeu igualmente que a organização pretende dissuadir a dopagem através de da educação, do controlo e da implementação de projectos que ajudem a compreender este flagelo social e a sua erradicação.
Os membros da ONAD-CV prometeram também detectar violações da política anti-dopagem através de programas de controlo de dopagem, de investigação científica e fazer cumprir as regras antidopagem, sancionando qualquer violação.
“Pretendemos fazer da ONAD-CV, uma instituição que busca a excelência do conhecimento científico, que assenta os seus princípios nos valores olímpicos e na paixão pelo esforço e pelo sacrifício”, disse Emanuel Passos.
A criação de um centro de investigação em exercício e saúde pública, onde serão realizados exames fisiológicos e bioquímicos aos atletas e contribuir com a produção de conhecimentos, a formação de todos os agentes desportivos sobre a utilização de substâncias e métodos dopantes, são outros propósitos da ONAD-CV.
A criação de um laboratório de análise antidopagem e a realização de controlos antidopagem durante a competição em todas as modalidades desportivas e em qualquer ponto do país, são ainda outras propostas dos membros da organização.
Por sua vez, o ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, sublinhou a importância da ONAD-CV e disse que o Governo criou esta organização com o objectivo de sensibilizar, dissuadir, detectar e fazer cumprir o que está instituído mundialmente na luta contra o uso de substâncias e métodos doping no desporto.
O Governo defende uma política desportiva que priorize os valores da ética e da integridade, do jogo limpo e da lealdade, como base de toda a estruturação desportiva, salientou Fernando Elísio Freire.
“Defendemos que a prática desportiva é, hoje, também um indicador de desenvolvimento sustentável, um factor de qualidade de vida e uma condição essencial para a formação integral da pessoa humana”, frisou.
Cabo Verde é membro da Agência Mundial Anti-dopagem (AMA) e da Organização Regional Antidopagem (ORAD) das zonas II e III de África e recentemente ratificou a Convenção Internacional da UESCO de Luta Contra o Doping.
Fonte: Inforpress