A selecção de Cabo Verde de surf estará nos dias 17 e 18 do corrente a competir no “África Tour Surf”, em Dakar, Senegal, com uma equipa composta por cinco surfista, em busca de lugares do pódio.


O presidente da Federação Cabo-verdiana de Surf, Emanuel Silva, avançou à Inforpress que a selecção nacional vai ser integrada por Ró (Sal), Kabungo (Tarrafal de Santiago), Evandro Barbosa (Associação Praia), Augusto Duarte (São Vicente) e Jason Neves (Boa Vista).
Esclarece que a federação nacional da modalidade decidiu seleccionar os campeões regionais de cada uma das cinco associações regionais filiadas, após a realização de uma prova para o apuramento dos representantes, dada a inexistência de um “ranking” dos surfistas nacionais.
A prova vai ser organizada pela Federação do Senegal de Surf, em parceria com uma marca patrocinadora, e conta com o concurso das selecções nacionais de Cabo Verde, África do Sul, Angola, Libéria, Madagáscar, Marrocos, Senegal, Serra Leoa, e uma delegação de surfistas internacionais da França.
A comitiva cabo-verdiana vai ser chefiada pelo presidente, Emanuel Silva, e tem partida agendada para o dia 15, de modo que os atletas possam treinar e adaptar-se às ondas e ao clima do Senegal, antes da competição.
A Federação Cabo-verdiana de Surf tem um plano para a realização de todas as etapas regionais, com vista à composição de uma nova selecção para representar Cabo Verde no Campeonato d’África das Nações, a ser promovida pela Confederação Africana de Surf em Setembro, no reino de Marrocos.
Cabo Verde almeja entrar no circuito internacional de “África Surf Tour”, prova que passará a ser organizada pela Confederação Africana de Surf, que culminará em Marrocos, no “África Surf” , com vista a qualificação para Jogos Olímpicos e Liga Internacional/Profissional.
A grande aposta federativa passa, necessariamente, por uma forte aposta nos escalões de formação e nas escolas, numa modalidade que já conta com um número considerado de participantes, sobretudo nas regiões desportivas de São Vicente e Sal, e a nível feminino e paralímpico, de forma que o país possa ter campeão mundial a longo/médio prazo.
Oficializada há dois meses, Federação Cabo-verdiana de Surf, segundo o seu mentor, integra as modalidades de “surf”, “bodyboard”, “skimboard”, “stund-Up Paddle” e Longboard.
Inforpress