A Câmara Municipal de Santa Cruz fez hoje a entrega de um subsídio de 860 contos à Associação Regional de Futebol Santiago Norte (ARFSN) e aos clubes de futebol federados locais, com vista estimular o desporto no concelho.



Em declarações à Inforpress, o presidente da câmara, Carlos Silva, disse que este apoio financeiro referente a época desportiva 2017/18 enquadra-se no âmbito da política da promoção do desporto da autarquia local.

Segundo o autarca, o montante é destinado apenas para a modalidade de futebol, beneficiando sete equipas federadas, sendo duas que disputam a 1ª divisão e cinco a 2ª divisão do campeonato regional de futebol de Santiago Norte e a ARFSN.

Para a Associação, a autarquia santa-cruzense desbloqueou uma verba de 60 contos, enquanto as sete equipas, nomeadamente as duas da 1ª divisão receberam 150 contos cada e as cinco da 2ª divisão foram distribuídos 100 contos cada.

Conforme explicou Carlos Silva, esse incentivo financeiro atribuído todos os anos, ora entregue, serve para apoio no transporte nas deslocações dos jogos.

Tendo em conta, que a edilidade ambiciona ter equipas de Santa Cruz a ascenderem ao campeonato nacional, fez saber que caso isso acontecer, vão atribuir um novo incentivo no valor de 200 contos, equipamentos e botas para os jogadores.

Em relação às equipas do segundo escalão que ascenderem à primeira divisão, Carlos Silva anunciou que serão atribuídos um incentivo no valor de 150 contos, equipamentos, botas e bolas.

Entretanto, avançou que, no próximo ano, a edilidade vai assinar um protocolo com as equipas em que serão definidas as balizas, contrapartidas, fixação de uma data certa para entrega dos subsídios e ainda será discutido um novo valor dos subsídios.

Consciente de que o montante atribuído “é pouco”, o autarca sustentou que, neste momento, pela actual conjuntura e devido ao aumento de clubes nos campeonatos, mais dois nesta época desportiva, “não há espaço para aumento de incentivos”.

Nesse sentido, a mesma fonte instou as equipas a procurar outros apoios, ou através de iniciativas próprias tentar arranjar meios financeiros para o avanço das suas actividades, já que a câmara sozinha não poderá responder a todas as demandas a esse nível.

Além de incentivos financeiros, o executivo camarário ajuntou que durante este mandato a câmara vai apostar, igualmente, nas infra-estruturas desportivas com destaque para reabilitação dos existentes e construção nas localidades que ainda não existem.

Formações para todos os envolvidos da prática do desporto, em todas as modalidades no concelho, são outros desafios apontados.

Por outro lado, Carlos Silva deixou “bem claro” que se formações de outras modalidades do concelho estivessem no campeonato nacional ou outras competições a edilidade ia “com certeza apoiar”.
Inforpress